Intubação com Videolaringoscópio em Doente Obeso Acordado

Pedro Andrade, Raquel Tranquada

Resumo


Introdução: A videolaringoscopia no doente acordado pode ser útil na abordagem da via aérea na anestesia do doente com obesidade mórbida. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência do videolaringoscópio na intubação traqueal destes doentes.

Material e Métodos: Este estudo, observacional e prospetivo envolveu 32 doentes propostos para cirurgia bariátrica. Após sedação e anestesia das vias aéreas superiores procedemos à intubação traqueal com o doente sedado mas colaborante e com recurso à videolaringoscopia. Suspenderíamos o procedimento se ultrapassássemos as três tentativas de intubação traqueal, se ocorresse gagging ou tosse severa ou se fosse impossível a visualização das cordas vocais.

Resultados: A taxa de sucesso registada foi de 97%. Vinte e nove doentes foram intubados na primeira tentativa (91%), um na segunda tentativa (3%) e um na terceira tentativa (3%). Só um doente não tolerou o procedimento.

Conclusões: O uso do videolaringoscópio no doente acordado deve ser considerado uma ferramenta útil no manejo da via aérea do doente obeso.


Palavras-chave


Cirurgia Bariátrica; Cirurgia Vídeoassistida; Intubação Traqueal; Laringoscopia; Manuseio das Vias Aéreas; Vigília.

Apontadores

  • Não há apontadores.