Reflexões sobre a História e Historiografia da Medicina em Portugal: Maximiano de Lemos e Tiago de Almeida

Nuno Miguel Magarinho Bessa Moreira

Resumo


Este estudo inscreve-se no âmbito da História da Historiografia da Medicina. O
entendimento da História da Historiografia da Medicina pode sair enriquecido do
contacto com a História da Historiografia em sentido restrito. Que sentido ou relevância pode ter o estudo das práticas historiográficas de Maximiano de Lemos e
Tiago de Almeida? Desde logo, pretende-se ressaltar a importância destes intelectuais que, antes de serem formados em Medicina, eram humanistas. Procurar-se-á perceber o contributo destes dois autores para a certificação da medicina como ciência em diversas vertentes, que contemplam a divulgação de conhecimentos promovida por ambos por via da criação de iniciativas pertencentes à imprensa periódica – ou a participação na Revista de História –, sem esquecer uma homenagem a um mestre (Pedro Dias) ou à instituição onde aqueles dois colegas se formaram e percorreram dois caminhos, distintos mas paralelos, a Escola Médico-Cirúrgica do Porto.

Palavras-chave


História da Historiografia; História da Medicina; Revista de História; Maximiano de Lemos; Tiago de Almeida.

Apontadores

  • Não há apontadores.