Dimensão Sociopolítica do Município de Luanda Durante o Século XVII

Arlindo Manuel Caldeira

Resumo


O município de Luanda, fundado no último quartel do século XVI, é contemporâneo da instalação do regime colonial em Angola e pode ser associado à conquista do território. Constituía, de facto, uma retaguarda estável de apoio à guerra, muito violenta, que os governadores e os militares desenvolviam no “sertão” e teve, por isso, um importante papel político na vida do território. Um dos objectivos centrais deste artigo é identificar e estudar a composição social dos “moradores”, a pequena oligarquia na qual eram escolhidos os executivos camarários. Simultaneamente, são analisadas as relações com o poder central, em Portugal, e, localmente, com os governadores. A coabitação entre os governadores e a câmara foi sempre difícil e competitiva, procurando as duas instituições enfraquecer-se mutuamente e esvaziar as respectivas competências.

Palavras-chave


Angola; autonomia; município; século XVII; moradores; conflito institucional; Luanda

Texto Completo:

PDF

Referências


Alencastro, L. (2000). O trato dos viventes: Formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Companhia das Letras.

Arquivos de Angola (1933-1963). Luanda: Museu de Angola.

Bicalho, M. F. (1998). As câmaras municipais no Império Português: O exemplo do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de História, 18 (36), 251-280.

DOI : 10.1590/S0102-01881998000200011

Bicalho, M. F. (2001). As câmaras ultramarinas e o governo do império. In Fragoso, J., Bicalho, M. F., & Gouvêa, M. F. (Org.), O Antigo Regime nos trópicos. A dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII) (pp. 189-221). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Boxer, C. R. (1965). The municipal council of Luanda. In Boxer, C. R., Portuguese society in the tropics: The municipal councils of Goa, Macao, Bahia, and Luanda, 1510-1800 (pp. 110-140). Madison & Milwaukee: University of Wisconsin Press.

Brásio, A. (1952-1988). Monumenta Missionaria Africana (África Ocidental). (Vols. 1-15, Série I). Lisboa: Agência Geral do Ultramar.

Cadornega, A. (1972). História geral das guerras angolanas. Lisboa: Agência-Geral do Ultramar.

Caldeira, A. (2007). Os jesuítas em Angola nos séculos XVI e XVII: Tráfico de escravos e “escrúpulos de consciência”. In CEAUP (Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto) (Coord.), Trabalho forçado africano - Articulações com o poder político (pp. 47-82). Porto: Campo das Letras.

Caldeira, A. (2012). Elite local, poder municipal e conflitualidade política na ilha de São Tomé nos séculos XVI a XVIII. In Meneses, A. F. de (Coord.), Das autonomias à autonomia e à independência: O Atlântico político entre os séculos XV e XXI (pp. 93-121). Ponta Delgada: Letras Lavadas.

Caldeira, A. (2013). Luanda in the 17th century: Diversity and cultural interaction in the process of forming an Afro-Atlantic city. Nordic Journal of African Studies, 22 (1-2), 72-104.

Coates, T. (1998). Degredados e órfãs: Colonização dirigida pela Coroa no Império Português, 1550-1755. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (CNCDP).

Couto, C. (1972). Os capitães-mores em Angola no século XVIII. Luanda: Instituto de Inves-tigação Científica de Angola.

Cunha, M., & Monteiro, N. (2005). Governadores e capitães-mores do império atlântico português nos séculos XVII e XVIII. In Monteiro, N., Cardim, P., & Cunha, M. (Org.), Optima pars. Elites ibero-americanas do Antigo Regime (pp. 191-242). Lisboa: Instituto de Ciências Sociais.

Delgado, R. (1973-1978). História de Angola. Lisboa: Banco de Angola.

Esteves, M. (1991). Para o estudo do tráfico de escravos em Angola (1640-1668). Studia, 50, pp. 79-108.

Felner, A. (1933). Angola: Apontamentos sobre a ocupação e início do estabelecimento dos portugueses no Congo, Angola e Benguela. Coimbra: Imprensa da Universidade.

Ferronha, A. (1998). Luanda: Do primeiro município português nos trópicos à revolta da municipalidade. In O município no mundo português. Seminário Internacional. Actas (pp. 491-498). Funchal: Centro de Estudos de História do Atlântico.

Fragoso, J., & Sampaio, A. C. J. (Org.) (2012). Monarquia pluricontinental e a governança da terra no ultramar atlântico luso: Séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Mauad X.

Heintze, B. (2007). Angola nos séculos XVI e XVII (M. Santos, Trad.). Luanda: Kilombelombe.

Heintze, B. (Org.) (1985-1988). Fontes para a história de Angola do século XVII. Stuttgart: Franz Steiner Verlag Wiesbaden.

Magalhães, J. R. (1988). Algumas notas sobre o poder municipal no império português durante o século XVI. Revista Crítica de Ciências Sociais, 25-26, pp. 21-30.

Milheiros, M. (1969-1972). Arquivo Histórico da Câmara Municipal de Luanda. Inventário de Códices – Núcleo antigo. Boletim Cultural da Câmara Municipal de Luanda, 22 a 36.

Milheiros, M. (1972). Luanda através dos séculos. Boletim Cultural da Câmara Municipal de Luanda, 36, pp. 22-26.

Miller, J. (1988). Way of death: Merchant capitalism and the Angolan slave trade, 1730-183. Madison: University of Wisconsin Press.

Noticias para a historia e geografia das nações ultramarinas que vivem nos dominios portuguezes ou lhes são visinhas. (1826). Lisboa: Academia Real das Ciências.

Ordenações Filipinas. (1985 [1603]). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Santos, J. (1965). Luanda d’outros tempos. Luanda: Centro de Informação e Turismo de Angola.

Santos, J. (1965a). Raridades bibliográficas existentes no Arquivo e na Biblioteca Municipal de Luanda. Luanda: Fundo de Turismo e Publicidade.

Silva, E. (1996). A Administração de Angola: Século XVII. Tese de mestrado em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa. Universidade de Lisboa, Portugal.

Silva, R. (1995). Arquivos e tradição oral: O caso de Angola. In Colóquio Construção e ensino da história de África: Actas (pp. 483-489). Lisboa: Grupo de Trabalho do Ministério da Educação para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses.

Tomás, M. (2007). A Câmara Municipal de Luanda no contexto angolano da primeira metade do século XVII. Tese de mestrado em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa (Séculos XV-XVIII). Universidade Nova de Lisboa, Portugal.

Zucchelli, A. (1712). Relazioni del viaggio e missione di Congo nell’Etiopia inferiore occidentale. Veneza: Bartolomeo Giavarina.


Apontadores

  • Não há apontadores.