O trabalho feminino assalariado nas fabricas de pescado na Galícia

Susana Maria Veleda da Silva

DOI: https://doi.org/10.18055/Finis7297

Resumo


O texto analisa o trabalho feminino nas fábricas de conserva de pescado na Galícia, Comunidade Autônoma da Espanha. A pesquisa objetiva analisar o trabalho feminino assalariado considerando a segregação laboral e as trajetórias de resistências das trabalhadoras. A base conceitual é fundamentada na geografia feminista considerando o patriarcado e o trabalho remunerado com a perspectiva da divisão de trabalho por gênero. As reflexões baseiam‑se nas observações de campo e em entrevistas realizadas em 2012, com onze pessoas envolvidas com o setor da indústria de produtos da pesca: trabalhadoras,
empresários(as), representantes da associação das empresas e sindicalistas. E também, em cinco entrevistas realizadas entre 1994‑1997, com trabalhadoras do setor. Considerando a segregação laboral e as práticas de resistência coletiva, os resultados da pesquisa indicam que o setor mantém o caráter de exploração do trabalho feminino no que se refere aos baixos salários e a pouca perspectiva de ascensão e no uso esporádico da força de trabalho.


Palavras-chave


Trabalho feminino; fábricas de pescado; patriarcado; gênero.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2017 Finisterra

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Diretora científica responsável: Margarida Queirós| print ISSN 0430-5027 | online ISSN 2281-4574 | © 2017 | Depósito legal nº1956/83 | Revista editada e publicada pelo Centro de Estudos Geográficos | criada pelo Open Journal System (OJS)

Open Acess   Sherpa/Romeo