Fronteira e Imigrantes em Perspectivas de Comunidades de Prática

  • Marco Aurélio Machado de Oliveira Docente do Mestrado em Estudos Fronteiriços da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.
  • Renata Miceno Papa Assistente Social, servidora municipal na Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania de Corumbá, MS, Brasil.

Resumo

Neste artigo apresentamos a criação do Circuito, rede integrada de agentes públicos, representantes de órgãos governamentais ou não, que atuam diretamente com a temática imigrante, seja no acolhimento, no atendimento ou no encaminhamento. O Circuito constitui-se como espaço de prospecção de demandas, nas quais as Comunidades de Prática, aqui entendidas como ações do Mestrado em Estudos Fronteiriços (MEF), irão atuar. Debateremos aqui as funcionalidades de ambas as iniciativas, bem como alguns exemplos de suas aplicabilidades. Considerando as principais características do MEF, Interdisciplinar e Profissional, isso, obviamente, tem se apresentado como uns de seus maiores desafios, uma vez que entre os preceitos que o fundamenta está a existência de aplicação da pesquisa e transferência de seus resultados no ambiente profissional do discente.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Machado de Oliveira, Docente do Mestrado em Estudos Fronteiriços da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.
Professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.
Publicado
2017-01-05
Como Citar
Oliveira, M., & Papa, R. (2017). Fronteira e Imigrantes em Perspectivas de Comunidades de Prática. Artciencia.Com, Revista De Arte, Ciência E Comunicação, (20-21). Obtido de https://revistas.rcaap.pt/artciencia/article/view/11067