Variação da pressão intraocular e da pressão de perfusão ocular com a hemodiálise em doentes de raça negra

  • Rita Couceiro Hospital de Santa Maria, CHLN

Resumo

Resumo

Objetivos: estudar a variação da pressão intraocular (PIO) e pressão de perfusão ocular (PPO) com a hemodiálise (HD), de forma a avaliar a contribuição destas alterações para o risco de glaucoma. Métodos: 32 olhos de 17 doentes de raça negra, com doença renal crónica terminal, foram submetidos a avaliação da PIO, pressão arterial (sistólica, diastólica e média), PPO (sistólica, diastólica e média) e peso corporal, antes (T1) e após (T2) uma sessão de hemodiálise (HD) de alto fluxo. Resultados: Em apenas 6 olhos se verificou uma diferença >4 mmHg na PIO entre T1 e T2 e a pressão arterial sistólica foi em média superior em T2. No entanto, estas diferenças não foram estatisticamente significativas, verificando-se o mesmo para as diferenças nos valores de pressão arterial diastólica e média e PPO (sistólica, diastólica e média) entre T1 e T2. O peso corporal em T1 foi significativamente superior ao peso corporal em T2 (t(16) = 0.09, p < 0.001).  Em 9 doentes (52,9%) verificaram-se valores de PPO diastólicas ≤55 mmHg em T1 ou T2. Conclusões: As diferenças no peso corporal traduzem a efetiva diminuição da volémia após HD, sem que no entanto se tenham verificado variações significativas da pressão arterial, da PIO ou da PPO com a HD. Verificou-se, no entanto, que em algum momento do estudo, uma proporção considerável de doentes apresentou valores de PPO associados a um maior risco de glaucoma.

Publicado
2018-05-09
Secção
Artigos originais