Valor nutritivo de pastagens de regadio. Suplementação de ovelhas “Serra da Estrela” em pastoreio, produtividade e interpretação metabólica dos resultados

  • Carlos C. Belo
  • Maria R. Marques
  • José M.B.F. Ribeiro
  • Ana T. Belo

Resumo

O estudo refere a produtividade e o valor nutritivo de uma pastagem de regadio pastoreada por ovelhas da raça “Serra da Estrela” entre setembro e fevereiro. O valor alimentar da pastagem foi avaliado pela produção de leite e carne, durante dois anos, na época de parição de setembro. O pastoreio foi conduzido rotacionalmente. À entrada das ovelhas nas parcelas, avaliou-se a composição botânica da pastagem, a quantidade de matéria seca (MS) e o seu valor nutritivo. As ovelhas foram suplementadas com (MILHO) e com “Corn Glúten Feed” (CGF). As ovelhas aleitaram exclusivamente os borregos até aos 21 dias, entre os 21 e os 42 dias foram ordenhadas 1 vez por dia e aos 42 dias os borregos foram desmamados e as ovelhas ordenhadas 2 vezes ao dia. Foi avaliado o peso vivo (PV) e o ganho médio diário dos borregos, bem como o PV, a condição corporal, a produção e a composição do leite das ovelhas. O valor nutritivo da erva foi elevado no início do 1º ano, valores de, respetivamente 321,5±19,45; 263,0±15,45 e 749,3±23,69 g/kg MS, para o NDF, PB e digestibilidade da MO e foi decrescendo ao longo dos períodos de pastoreio. O desempenho das ovelhas foi superior no 1º ano e nas ovelhas suplementadas com CGF: maior PV dos borregos ao desmame, produção de leite nas duas fases de ordenha e quantidade dos constituintes do leite. A avaliação dos indicadores séricos “ácidos gordos não esterificados”, “ureia” e “insulina” foram importantes na interpretação dos resultados produtivos. A suplementação deve considerar a mobilização das reservas corporais e limitar-se ao início da lactação e na sua composição, além dos glúcidos solúveis, deve incluir proteína não degradável no rúmen.

Publicado
2019-05-09
Secção
Geral