Controle de fungos e qualidade fisiológica de sementes de soja (Glycine max L.) submetidas ao calor húmido

  • José George Ferreira Medeiros
  • Ivan Clécio Gonçalves Fontes
  • Edcarlos Camilo da Silva
  • Petrônio Donato dos Santos
  • Rummenigge de Macêdo Rodrigues

Resumo

A qualidade das sementes de soja (Glycine max L.) é um fator importante para o sucesso da cultura, uma vez que a semente pode servir como fonte de inóculo para disseminação de doenças. Dessa forma, objetivou-se avaliar o efeito da termoterapia via calor úmido na qualidade fitossanitária e fisiológica das sementes de soja. As sementes utilizadas foram da cultivar FTS ATHENA RR, as quais foram submetidas aos seguintes tratamentos: testemunha (sementes não tratadas), fungicida (dicarboximida) e os tratamentos térmicos a 40, 50 e 60 ºC por cinco e dez minutos de imersão em água. As sementes foram submetidas aos testes de sanidade e emergência em delineamento experimental inteiramente casualizado. O tratamento por imersão das sementes a 40, 50 e 60 °C por cinco e dez minutos não foi eficiente para impedir o desenvolvimento de Penicillium spp., Aspergillus niger Link e A. Flavus Tiegh. As temperaturas de 40 e 50 ºC em todos os tempos de imersão, reduziram a microflora fúngica da parte aérea e do solo sem afetar a qualidade fisiológica.

Publicado
2019-05-11
Secção
Geral