Produção agroeconômica de Xanthosoma mafaffa Schott sob diferentes tamanhos de mudas e bases de cama de frango

  • Elissandra Pacito Torales Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados
  • Diego Menani Heid
  • Marianne Sales Abrão
  • Nestor Antonio Heredia Zárate
  • Maria do Carmo Vieira
  • Cleberton Correia Santos Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados
  • Heldo Denir Vhaldor Rosa Aran

Resumo

Objetivou-se avaliar a produtividade, custos de produção e rentabilidade do mangarito cultivado com diferentes tamanhos de mudas (T1= 3,30; T2= 2,17; T3= 1,34 e T4= 0,81 g) e bases de cama de frango semidecomposta (serragem, casca de arroz e sem cama de frango) adicionadas ao solo em cobertura. Os tratamentos foram arranjados no esquema fatorial 4 x 3, no delineamento experimental blocos casualizados, com quatro repetições. A maior massa fresca de rizoma filho comercial foi obtida com o uso da cama de frango base casca de arroz e tamanho de mudas (T1), com aumento de 7,25 t ha-1 em relação ao T4 que obteve o menor valor. O T1 favoreceu maior massa fresca de rizoma mãe. Os custos estimados para produzir 1,0 ha de mangarito variaram em função dos tratamentos em R$ 2.356,26 entre o maior custo (R$ 9.802,30), ao cultivar com cama de frango e mudas T1 e o menor custo (R$ 7.446,04), para o cultivo sem a adição de cama de frango ao solo ao utilizar mudas T4. As maiores rendas bruta e líquida foram obtidas no cultivo do mangarito com T1 e adição de cama de frango base casca de arroz.

Publicado
2019-08-12
Secção
Geral