[1]
F. Borghetti Cantali e W. Engelmann, «Do não cognitivismo dos homens ao não congnitivismo das máquinas: percursos para o uso de decisões judiciais automatizadas», Revista Jurídica Portucalense, pp. 35–58, Jul. 2021.