[1]
D. TABORDA, A. MARTINS, e C. SÁ, «A determinação do excesso de endividamento para efeitos fiscais: como aplicar uma norma mal elaborada?», Revista Jurídica Portucalense, pp. 64–85, Out. 2022.