O Pensamento Estratégico: Que Utilidade?

  • João Montez

Resumo

Este trabalho procura definir o interesse e o proveito que as organizações têm em utilizar, em empregar e por conseguinte, a lucrar ao considerarem o pensamento estratégico como uma prática cotidiana, um processo contínuo, de modo a construir e desenvolver conhecimentos e ações estratégicas onde se privilegie o diálogo, com consequente troca de ideias entre indivíduos fortalecendo as suas relações.
os líderes das organizações enfrentam novas e duras ameaças que os obrigam a ser inovadores, é óbvio que a inovação sempre esteve no cerne dos negócios, mas até agora não era a maior das prioridades da gestão. Num novo ambiente global, com intensos fluxos de informação, caracterizado por mudanças rápidas e aumento da concorrência devido à eliminação de fronteiras, à troca de produtos e ao livre comércio, o pensamento estratégico deve ser usado em qualquer organização que procure ganhar vantagem competitiva e que tenha como foco uma constante melhoria. As organizações têm então o desafio de desenvolver um planeamento estratégico e incentivar o pensamento estratégico, em vez de o minar, como é defendido por Goldman (2012) além da parte superior da organização mostrar abertura para este conceito é também necessário desenvolver a capacidade desse tipo de pensamento em todos colaboradores mesmo nos níveis hierárquicos mais profundos.

Neste trabalho é feita uma abordagem comparativa da estratégia entre o sector privado e o sector público, entre o meio empresarial e o meio militar, será abordado também cada um dos conceitos e fases da gestão estratégia organizacional.

Publicado
2018-01-22
Secção
Artigos