Revista Portuguesa de Educação https://revistas.rcaap.pt/rpe <p>A Revista Portuguesa de Educação (RPE) é uma publicação contínua do Centro de Investigação em Educação (<a href="http://www.cied.uminho.pt" target="_blank" rel="noopener">CIEd</a>) da Universidade do Minho (<a href="https://www.uminho.pt" target="_blank" rel="noopener">UMinho</a>).</p> <p>A revista tem como objetivos:</p> <p>a) difundir conhecimento original e atual na área da Educação;</p> <p>b) fomentar e facilitar o desenvolvimento de redes científicas nacionais e internacionais capazes de contribuir para o avanço do conhecimento nessa área.</p> Instituto de Educação - Universidade do Minho pt-PT Revista Portuguesa de Educação 0871-9187 <p>1. Autores conservam os direitos de autor e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://mail.uminho.pt/owa/redir.aspx?C=2QUSnQabVEa9r1oyvDO0o11jqjIiL9QI_CsCtBogrnWPUkg2NIIy-C0epIwdH2XDxOGPXFycihU.&amp;URL=http%3a%2f%2fcreativecommons.org%2flicenses%2fby%2f3.0%2f" target="_blank" rel="noopener">Licença Creative Commons Attribution <em>4.0 CC-BY-SA</em></a> que permite a partilha do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista;</p> <p>2. Autores e autoras têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: depositar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista;</p> <p>3. Autores e autoras têm permissão e são estimulado/as a publicar e distribuir o seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> <p><br /><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0px;" src="https://i.creativecommons.org/l/by-sa/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> <p id="tw-target-text" class="tw-data-text tw-ta tw-text-small" dir="ltr" style="height: 96px; text-align: left;" data-fulltext="" data-placeholder="Tradução"><span lang="pt">Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição Compartilhamento pela mesma Licença Internacional 4.0</span></p> Supervisão e inovação pedagógica: Um estudo na formação inicial de professores de Francês em Moçambique https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/33031 <p>Partindo do pressuposto de que a supervisão pode favorecer a inovação pedagógica, foi realizado um estudo de caso no contexto do estágio de um curso de formação inicial de professores de Francês em Moçambique, com a finalidade de compreender em que medida a supervisão promove práticas alinhadas com tendências atuais da educação em línguas, no quadro de uma formação reflexiva. Recorreu-se ao inquérito por questionário aos atores do estágio e à análise de dois manuais escolares adotados nas escolas. Os resultados indicam aproximações das atividades didáticas a uma abordagem comunicativa e intercultural, mas também limitações no desenvolvimento da autonomia dos alunos e na promoção de competências profissionais de reflexão, investigação e inovação. Com base nos resultados do estudo, são apontadas implicações para a melhoria da relação entre supervisão e inovação no contexto de estágio.</p> Ana Maria David Flávia Vieira Direitos de Autor (c) 2024 Ana Maria David , Flávia Vieira https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-01-23 2024-01-23 37 1 e24001 e24001 10.21814/rpe.33031 Intervenção em estratégias de aprendizagem: Uma proposta de formação de professores em serviço https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/31405 <p>Este estudo teve por objetivo analisar os efeitos de uma intervenção desenvolvida no formato de uma sobreposição curricular relacionada ao ensino de estratégias de aprendizagem aos professores do Ensino Médio de uma escola pública estadual do Paraná/Brasil. Participaram da pesquisa até à conclusão 14 professores. Os professores participaram da intervenção no formato híbrido que durou 5 meses e foi composta por 17 sessões de intervenção, totalizando 50 horas. A pesquisa seguiu um delineamento quase-experimental cumprindo as etapas de pré-teste, intervenção e pós-teste. Na intervenção foram ensinadas aos professores estratégias de aprendizagem cognitivas, metacognitiva, de recursos internos e contextuais. Os resultados apontaram diferenças estatisticamente significantes ao comparar o pré e pós-teste para as subescalas de autorregulação: cognitiva e metacognitiva, de recursos internos e contextuais e autorregulação total da escala. Ressalta-se a necessidade de mais estudos com professores em formação inicial ou continuada, pois eles desempenham um importante papel na formação de seus alunos, bem como com outros participantes, níveis escolares, culturas e contextos.</p> Deivid Alex dos Santos Paula Mariza Zedu Alliprandini Direitos de Autor (c) 2024 Deivid Alex dos Santos, Paula Mariza Zedu Alliprandini https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-01-24 2024-01-24 37 1 e24002 e24002 10.21814/rpe.31405 O apoio da família na adaptação de jovens portugueses ao ensino superior: Uma revisão integrativa da literatura https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/24883 <p>A entrada no ensino superior coloca aos jovens universitários inúmeros desafios e mudanças que podem ter diferentes implicações no grau de sucesso e satisfação com a vida e com a vida académica, em particular. Num período marcado pela expetativa de dar continuidade às suas escolhas académicas num contexto novo, o estudante do ensino superior vai mobilizar os seus recursos para o processo de adaptação. Neste processo, não obstante ser reconhecida a importância do apoio da família, conhece-se relativamente pouco acerca do papel do apoio familiar e da perceção desse auxílio pelos estudantes. Procurando colmatar esta lacuna, o presente estudo apresenta uma revisão integrativa de artigos publicados nos últimos 30 anos, com o objetivo de descrever as distintas formas de relacionar o apoio familiar ao processo de adaptação ao contexto universitário português, durante o período da ‘adultez’ emergente. Dá-se particular atenção aos resultados da pesquisa, nomeadamente os que apontam para a influência da família e do papel que assume na adaptação. Foram consultadas diferentes bases de dados (SciELO, Google Scholar, Scopus, Dialnet e RCAAP) e foram selecionados 12 artigos. Os estudos selecionados evidenciam o papel da família e o apoio familiar percebido como variáveis preditoras de uma adaptação positiva. Destaca-se a necessidade de realizar mais estudos, em particular com enfoque nas características do apoio familiar durante o período de adaptação ao contexto académico. </p> Elisabete Gonçalves Ana Almeida Direitos de Autor (c) 2024 Elisabete Gonçalves, Ana Tomás Almeida https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-01-26 2024-01-26 37 1 e24003 e24003 10.21814/rpe.24883 Manifestações e situações de violência escolar percebida nas comunidades educativas de Cartagena, Colômbia https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/26531 <p>A maioria das escolas públicas de Cartagena (Colômbia) está localizada em áreas vulneráveis da cidade e caracterizam-se por uma alta incidência de violência, afetando, seriamente, a qualidade da educação, a convivência e o bem-estar emocional da comunidade educativa. O objetivo deste estudo foi analisar os testemunhos da violência escolar, a partir dos relatos de 50 participantes: alunos, mães e professores de instituições educativas que vivem em zonas vulneráveis de Cartagena das Índias. Desta forma, pretende-se abordar as queixas de violência escolar dos diferentes agentes sociais entrevistados com o objetivo de construir soluções conjuntas a partir da escola e da comunidade. Os resultados indicam que a violência escolar é percebida em termos de uma diversidade de manifestações que ocorrem e se entrelaçam em três cenários principais: escola, família e sócio-comunidade. É vista como um jogo, um produto de tensões entre a família e a escola. Está associada a um défice de competências sociais e mesmo ligada a problemas como a toxicodependência ou a falta de oportunidades de trabalho digno. Estes resultados fornecem às escolas contributos para a conceção e aplicação de programas e estratégias de prevenção da violência escolar.</p> Elsy Domínguez de la Ossa Pedro Vázquez Miraz Direitos de Autor (c) 2024 Elsy Domínguez de la Ossa, Pedro Vázquez Miraz https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-02-05 2024-02-05 37 1 e24004 e24004 10.21814/rpe.26531 Programa para salas de aula com alunos surdos: Construção por profissionais chilenos e colombianos https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/26256 <p>A comunicação e a aprendizagem são referências naturais nos processos educativos do ser humano, que incluem programas para alunos surdos. O presente artigo tem como objetivo descrever os componentes necessários <span style="text-decoration: line-through;">a</span> um programa para uma aula com estes alunos. Com abordagem qualitativa e desenho fenomenológico, foram recolhidas informações através de grupos de discussão com a participação e interação de profissionais chilenos e colombianos. Participaram, neste estudo, 44 participantes entre os quais: terapeutas da fala, professores de surdos, co-educadores/modelos linguísticos, intérpretes de língua gestual chilena e colombiana. Com os resultados estabeleceram-se 3 categorias: perfil profissional, estratégias comunicativo-cognitivas e elementos de fortalecimento. As conclusões orientam-se para a importância de se considerar a articulação de elementos, tais como: o trabalho colaborativo e a gestão pedagógica no desenvolvimento do trabalho profissional de um programa educacional na sala de aula com alunos surdos.</p> Karina Muñoz Carmen Sastre Gonzalez Carlos Enríquez Lozano Alejandra Sánchez Bravo Direitos de Autor (c) 2024 Karina Muñoz, Carmen Sastre Gonzalez , Carlos Enríquez Lozano, Alejandra Sánchez Bravo https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-02-08 2024-02-08 37 1 e24005 e24005 10.21814/rpe.26256 A tríade universidade, escola e profissão na formação docente: Considerações sobre a verticalização nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/28819 <p>Este artigo contextualiza os cursos de formação inicial de professores na arquitetura institucional de uma política federal brasileira e sinaliza seu potencial de reduzir as distâncias entre universidade, escola e profissão. Sublinhando a urgência de serem constituídas novas institucionalidades que concretizem os processos de formação de professores, António Nóvoa propõe a criação de “casas comuns” capazes de estabelecer ligações orgânicas entre o ambiente acadêmico, o cotidiano escolar e a profissão docente. No Brasil, uma política de abrangência nacional dialoga diretamente com essa proposta. Pouco estudada, começou a ser implementada em 2008, nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e tem na verticalização do ensino um dos fundamentos de sua organização político-pedagógica, ofertando cursos de diferentes níveis, incluindo o ensino secundário e as licenciaturas. O quadro docente, por seu turno, com remuneração e plano de carreira equiparados aos professores universitários, leciona, na mesma instituição, tanto na educação básica quanto no ensino superior, atuando como professor pesquisador e formador de professores. É a essa experiência que o presente artigo se reporta. A partir de um estudo qualitativo de enfoque descritivo, recupera os antecedentes da política pública discutindo a fundação dessa nova institucionalidade em um cenário de escassez de professores. Direciona a atenção, então, à inovação institucional propiciada pelo modelo de verticalização, acenando para a sua potencial contribuição na constituição do que Nóvoa nomeia como o triângulo da formação docente, em cujos vértices estariam a escola, a universidade e a profissão. Ao final, problematiza os desafios para a consolidação da proposta.</p> Roberta dos Reis Neuhold Márcio Rogério Olivato Pozzer Direitos de Autor (c) 2024 Roberta dos Reis Neuhold, Márcio Rogério Olivato Pozzer https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-03-06 2024-03-06 37 1 e24006 e24006 10.21814/rpe.28819 Apropriações das tecnologias digitais na prática docente após ensino remoto emergencial: Uma análise de emergência de conceitos https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/31164 <p>As discussões apresentadas neste artigo originaram-se de uma pesquisa desenvolvida por integrantes de dois grupos de pesquisa de uma universidade pública do Brasil. Buscou-se investigar as apropriações críticas do uso das tecnologias digitais na prática docente no processo de retorno ao ensino presencial após o Ensino Remoto Emergencial. Utilizou-se como metodologia a análise de emergência de conceitos, para investigar a experiência docente do Ensino Remoto Emergencial ao presencial, vivenciada em uma instituição de ensino superior. Iniciou-se o registro ideográfico das fontes geradoras a partir da coleta de dados realizada com os sujeitos. As respostas obtidas foram traduzidas para a língua Inglesa, de modo a propiciar a interpretação por meio de um software específico de análise semântica - Tropes. Foi utilizado um tipo de representação - análise por meio de redes, desenvolvida por meio da plataforma de composição e análise de redes - Gephi. Posteriormente, verificou-se a emergência dos conceitos aferentes, eferentes e de transição, para compor a análise de conceitos originada no entorno do tema gerador. Os dados obtidos evidenciaram que os sujeitos investigados reconhecem que seu modo de ensinar mudou após a experiência com o Ensino Remoto Emergencial e retorno para o ensino presencial. Os sujeitos mantiveram as estratégias intermediadas via tecnologia digital, adaptaram sua prática de ensino, superaram dificuldades de apropriação quanto ao uso das tecnologias digitais da informação e comunicação, além de reconhecerem que ainda há desafios associados à prática de ensino, como: desinteresse dos alunos, inovação e atualização das práticas de ensino.</p> Regiani Coser Cravo Marcelle Rose da Silva Minho Marcus Túlio de Freitas Pinheiro Emanuel do Rosário Santos Nonato Direitos de Autor (c) 2024 Regiani Coser Cravo, Marcelle Rose da Silva Minho, Marcus Túlio de Freitas Pinheiro, Emanuel do Rosário Santos Nonato https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-03-15 2024-03-15 37 1 e24007 e24007 10.21814/rpe.31164 Perspectivas dos docentes e dos estudantes universitários sobre os fatores que influenciam a aprendizagem do inglês como língua estrangeira https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/32405 <p>A proficiência em inglês é essencial para alcançar uma carreira académica e profissional bem-sucedida, o que motiva os estudantes universitários a aprimorarem as suas competências linguísticas. No entanto, alguns estudantes buscam apenas cumprir os requisitos exigidos pelas instituições educativas sem desenvolver habilidades linguísticas sólidas. Diante dessa situação, o presente estudo, sob uma abordagem metodológica mista sequencial explicativa, com uma primeira fase quantitativa e uma segunda fase qualitativa, tem como objetivo analisar os fatores que influenciam a aprendizagem do inglês como língua estrangeira durante o período universitário. Para alcançar esse objetivo, foi realizada uma triangulação de dados entre as respostas fornecidas pelos alunos, coletadas por meio de um questionário, e a perspectiva dos professores, obtida por meio de entrevistas semiestruturadas. Os resultados mostram que a titulação, o tempo dedicado e a motivação são fatores-chave no perfil do estudante. Além disso, é um momento oportuno para aumentar as exigências no ensino de línguas estrangeiras, embora seja necessário prestar especial atenção aos cursos de graduação que apresentam um nível mais baixo de proficiência no idioma. Por fim, para melhorar a qualidade da aprendizagem, é imprescindível utilizar as TIC fora da sala de aula, juntamente com metodologias ativas que otimizem o tempo disponível.</p> Inmaculada Martín-Espinosa Rosario Gil-Galván Direitos de Autor (c) 2024 Inmaculada Martín-Espinosa, Rosario Gil-Galván https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-04-04 2024-04-04 37 1 e24008 e24008 10.21814/rpe.32405 Os “profissionais” de educação de adultos e a importância dos contextos de trabalho para o seu processo de aprendizagem e construção de saber: Um processo suficiente? https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/28321 <p>Não existe, de forma generalizada, a exigência de se ter uma formação académica especializada para se poder trabalhar na educação de adultos. Partindo desta realidade, há uma questão à qual temos procurado responder com base em várias investigações concretizadas ao longo dos anos: como é que aqueles que desenvolvem as suas atividades na educação de adultos aprendem e constroem os saberes necessários para efetuarem as suas funções? Neste artigo reflete-se sobre o relevo que os contextos de trabalho podem ter nesse processo. Os resultados a que temos chegado apontam quatro grandes dimensões implicadas em tal processo, tendo plena consciência que ele é mais vasto: a formação profissional contínua; a construção e reconstrução da aprendizagem e do saber; a transferência das aprendizagens e do saber, sua circulação e coletivização; e a dimensão temporal da aprendizagem e do saber. Mas, os resultados mostram-nos também que este património construído a espaços é frequentemente destruído, porque não há uma aposta política contínua na educação de adultos. Desta forma é difícil defender que há profissionais da educação de adultos, é difícil falar da existência generalizada de um dos que seria um dos seus traços identitários mais marcantes: um conhecimento, um saber específico que os distinga. Assim, a identidade profissional dos que trabalham na educação de adultos continua a ser ténue e o processo de profissionalização de difícil realização.</p> Armando Paulo Ferreira Loureiro Direitos de Autor (c) 2024 Armando Paulo Ferreira Loureiro https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-04-08 2024-04-08 37 1 e24009 e24009 10.21814/rpe.28321 A institucionalização de um sistema separado no atendimento à infância em Portugal (1974-2023): O lugar da creche https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/31973 <p>Referenciadas às Ciências da Educação e às Sociologias da Infância, da Família e da Educação, perspetivamos o recente interesse político sobre a creche no âmbito das relações entre pequena infância, família e Estado, para interrogarmos o lugar da Creche no contexto da educação para a infância que antecede a escolaridade obrigatória. A institucionalização educativa da infância dos 0 aos 6 anos apenas ganha relevância social no Portugal da democracia. Desde então, assiste-se à configuração de um sistema e de uma governação separada do acolhimento e da educação da infância, sob a forma da Creche para as idades do 0-3 anos e do Jardim de Infância para as idades dos 3-6 anos. O levantamento e análise da produção legislativa relativa ao cuidado e educação da pequena infância, publicada em Portugal entre 1974-2023, permitiram constatar que a Creche constitui uma resposta socioeducativa sob tutela do Ministério da Segurança Social, assumindo funções de guarda e cuidado e orientada para a conciliação do trabalho e da família e que, sob tutela pedagógica do Ministério da Educação, ao Jardim de Infância se atribui uma função educativa ao integrar o sistema educativo no âmbito da rede nacional da educação pré-escolar. Este sistema bipartido obriga a questionar a diferenciação entre cuidar/educar e o seu impacto no direito das crianças pequenas à educação.</p> Manuela Ferreira Catarina Tomás Cristina Rocha Roseli Nazario Direitos de Autor (c) 2024 Manuela Ferreira, Catarina Tomás, Cristina Rocha, Roseli Nazario https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-04-19 2024-04-19 37 1 e24010 e24010 10.21814/rpe.31973 Educação a distância e ensino remoto: Oposição pelo vértice https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/29231 <p>A pandemia de Covid-19 trouxe uma série de implicações para a sociedade, incidindo diretamente sobre a educação na medida em que foram paralisadas as atividades presenciais como forma de conter a transmissão do novo coronavírus. Nesse sentido, visando mitigar os problemas decorrentes da paralisação das aulas, adotou-se aquilo que, apesar de algumas variações terminológicas, se convencionou chamar de Ensino Remoto (ER), opondo-o à Educação a Distância (EaD). Neste ensaio, temos como objetivo avaliar as aparentes distinções, problematizando-as. Para tanto, retomamos debates e discussões recentes, apresentando algumas antíteses para certas teses até então sustentadas. Concluímos que os esforços voltados a separar diametralmente as duas realidades são, em muitos sentidos, equivocados, porquanto não dão conta de balizar aquilo que só pode ser apreendido por meio da materialização num contexto histórico-social. Defendemos, sob esse prisma, que o ER, se se quer preservar sua dimensão emergencial, nada mais é do que uma configuração possível para tudo aquilo que chamamos de EaD, pois compreende, fundamentalmente, a separação no espaço e/ou no tempo entre os sujeitos, bem como o uso de tecnologias que viabilizam a mediação pedagógica.</p> Braian Veloso Daniel Mill Direitos de Autor (c) 2024 Braian Veloso, Daniel Mill https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-05-10 2024-05-10 37 1 e24011 e24011 10.21814/rpe.29231 Utilização do Kahoot! em procedimentos de ensino: Uma revisão sistemática da literatura https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/28186 <p>As revisões de literatura e a análise de dados quantitativos em Educação permitem identificar o efeito das variáveis analisadas e descrever os procedimentos dos estudos publicados, possibilitando o planejamento de novos estudos e a proposição e avaliação de estratégias e de recursos pedagógicos. Este estudo teve como objetivo fazer uma revisão sistemática da literatura de estudos empíricos em que a plataforma Kahoot! foi utilizada para avaliação da aprendizagem e a revisão de conteúdos acadêmicos sobre o desempenho dos estudantes em diferentes disciplinas acadêmicas. A busca foi realizada no Portal de Periódicos CAPES/MEC, utilizando a palavra-chave “Kahoot!”, de artigos escritos em inglês, francês, espanhol, italiano e português, de 2017 a 2021. Foram selecionados 22 estudos que atenderam aos critérios de inclusão e exclusão. Vinte dos 22 estudos usaram métodos quantitativos para avaliar o desempenho dos estudantes. Os resultados mostram que o uso do Kahoot! melhora o desempenho dos participantes. Os procedimentos de intervenção foram geralmente utilizados para avaliar ou revisar conteúdos previamente ensinados. Concluímos que os estudos revisados demonstraram que a plataforma Kahoot! pode ser indicada como estratégia pedagógica, sendo adequada para a avaliação da aprendizagem e para a revisão de uma diversidade de conteúdos acadêmicos.</p> Éllen Patrícia Alves Castilho Verônica Bender Haydu Direitos de Autor (c) 2024 Éllen Patrícia Alves Castilho, Verônica Bender Haydu https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-05-10 2024-05-10 37 1 e24012 e24012 10.21814/rpe.28186 A literatura na formação docente e a catarse como fundamento preparatório para a sala de aula https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/27828 <p> O artigo propõe fundamentar a necessidade de a catarse se realizar com o professor, visto que, antes de se tornar docente, ocupa o espaço de discente na Universidade. A pesquisa não se refere à catarse como um único momento, pelo contrário, defende-a como processo que deve ser constante nos estudos, nas leituras e nas pesquisas que permeiam a formação docente durante os estudos de graduação e os demais processos de construção do conhecimento que fazem parte do aperfeiçoamento docente. A abordagem, fundamentada nos pressupostos teóricos da pedagogia histórico-crítica, sugere que a literatura, na formação docente, pode contribuir para promover o processo catártico, preparando o sujeito para a sistematização e para a mediação do conhecimento, bem como a sua humanização; reforça que o acesso à arte e à literatura é um direito de todos e não para poucos e defende uma utilização de métodos de análise da obra literária que não se restringem ao aspecto linguístico. Amparada nos textos de Newton Duarte, Antonio Candido e Demerval Saviani, a pesquisa sugere métodos que incluam uma abordagem sociológica, histórica, cultural, filosófica e artística, permitindo uma compreensão e apreensão da obra literária de caráter multidisciplinar e entrelaçando saberes de forma a eliminar a separação de conteúdos em “caixinhas”. Observa-se que docentes que não atravessam experiências catárticas durante os seus estudos formativos não dispõem de elementos para conduzir outros sujeitos pelas referidas experiências – os futuros alunos. Conclui-se que a formação docente sob essa perspectiva possibilita oferecer instrumentos para a transformação dos sujeitos envolvidos no processo educacional, preparando-os para implementar uma sociedade igualitária.</p> Maria Cláudia Bachion Ceribeli Direitos de Autor (c) 2024 Maria Cláudia Bachion Ceribeli https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2024-05-10 2024-05-10 37 1 e24013 e24013 10.21814/rpe.27828