Riscos ocupacionais durante a reintegração cromática

  • Ana Maria dos Santos Bailão

Resumo

Os conservadores-restauradores podem ser expostos a uma variedade de materiais potencialmentenocivos. Os perigos para a classe profissional são numerosos e, por conseguinte,é importante identificar os materiais nocivos e as “más práticas”. Apesar dos profissionaisdo sector estarem sensibilizados, na sua maioria, para os aspetos de segurança associadosaos solventes de limpeza, aos consolidantes, aos vernizes de proteção, os pigmentos e astintas em geral são descurados embora impliquem risco para a saúde dos profissionais. Oobjetivo deste artigo é avaliar os riscos ocupacionais inerentes aos materiais e às técnicasde reintegração cromática.

Biografia do Autor

Ana Maria dos Santos Bailão
Licenciada (pré-bolonha) em Conservação e Restauro pelo Instituto Politécnicode Tomar (IPT) desde 2005 e Mestre em Conservação de Pintura pela Universidade CatólicaPortuguesa (UCP) desde 2010. Atualmente, é doutoranda em Conservação de Pinturas namesma universidade, em colaboração com o Centro de Investigação em Ciência e Tecnologiadas Artes (CITAR) da UCP e com o Instituto del Patrimonio Cultural de España (IPCE) emEspanha. A sua investigação de doutoramento está direcionada para o estudo dos critériose das metodologias que possam ajudar a melhorar a qualidade da reintegração de pintura.
Publicado
2013-01-01
Edição
Secção
Artigos