Vermicompostagem de resíduos de crambe na produção de mudas de rúcula

  • Paola Tahiss Cardozo Jara
  • Fernanda Rubio
  • Francielly Torres dos Santos
  • Higor Eisten Francisconi Lorin
  • Franciele Natividade Luiz

Resumo

O crambe é uma planta com alto potencial de produção biodiesel. Entretanto, o uso para alimentação animal apresenta toxicidade. O objetivo do presente estudo foi propor uma alternativa de tratamento para este tipo de resíduos agro-industrial. Desta forma, utilizou-se a minhoca Eisenia foetida para a estabilização do resíduo de crambe. Foram construidos 20 vermireatores, que receberam resíduos de crambe e esterco bovino nas dose de acordo com a determinação de sólidos totais. Os tratamentos foram chamados 100% de esterco bovino; 10% resíduo de crambe + 90% esterco bovino; 20% resíduo de crambe + 80% esterco bovino; 30% resíduo de crambe + 70% esterco bovino; resíduo de crambe 40% + 60% esterco bovino. As misturas permaneceram durante 40 dias nos vermireatores. O delineamento estatítico foi inteiramente casualizado, com cinco tratamento e quatro repetições. Os vermicompostos obtidos foram utilizados na produção de mudas de rúculas. No final do período proposto, observou-se que as minhocas sobreviveram em todas as concentrações de resíduos de crambe. Além disso, verificou-se que mesmo com as doses mais elevadas do resíduo de crambe, não foi prejudicial as minhocas. Na produção de mudas de rúcula, verificou-se que houve um desenvolvimento adequado das plantas.

Publicado
2019-01-09
Secção
Geral