Qualidade fisiológica e expressão enzimática de sementes de soja RR®

  • Douglas Goulart Castro
  • Adriano T. Bruzzi
  • Everton V. Zambiazzi
  • Pedro M. de Rezende
  • Alan M. Zuffo
  • Ana P. de Sales
  • Igor O. Soares
  • Isabella M.M. Borges
  • Mariane C. Bianchi

Resumo

O herbicida glifosato tem afetado os bioindicadores de qualidade do solo, aspectos morfofisiológicos e nutricionais das plantas de soja RR®. Contudo, não se sabe o impacto desses efeitos fisiológicos na qualidade das sementes de soja RR®. A expressão de enzimas está relacionada a qualidade das sementes de soja por ocasião dos genótipos e ambientes de produção. Foi objectivo neste trabalho, avaliar a qualidade fisiológica e a atividade enzimática de sementes de soja RR® em dois ambientes de produção em função de doses do herbicida glifosato. As sementes foram produzidas na safra 2014/15 nos municípios de Lavras e Patos de Minas em esquema fatorial 3 x 6, sendo três cultivares comercias de soja RR® (CD 250, TMG 1174, V-MAX) e seis doses do herbicida glifosato (0, 960, 1920, 2880, 3840, 4800 g e.a. ha-1). As sementes colhidas foram analisadas em laboratório quanto a expressão enzimática, bem como o teor de água, germinação em areia, germinação em papel, emergência de plântulas, índice de velocidade de emergência, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado e o vigor e viabilidade de sementes, adotando-se delineamento inteiramente casualizado. A aplicação de doses crescentes de glifosato até 4800 g e.a. ha-1 não influencia a qualidade fisiológica de sementes de soja. Não houve efeito do aumento das doses de glifosato sobre a expressão enzimática para esterase, álcool desidrogenase, malato desidrogenase e catalase. A cultivar V-MAX RR apresentou percentagem de germinação em areia 80%, estando nos padrões de comercialização de sementes no Brasil.

Publicado
2019-01-09
Secção
Geral