Efeito do quitosano e ácido acético na conservação de uva de mesa

  • Sara Ricardo-Rodrigues
  • Marta Laranjo
  • Patrícia Martins
  • Ana Elisa Rato
  • Shakib Shahidian
  • Margarida Vaz
  • Renato Coelho
  • Pedro Valverde
  • Fabiana Vieira
  • Ana Cristina Agulheiro-Santos

Resumo

Todos os frutos sofrem perdas de qualidade desde o momento da colheita até ao seu consumo. A utilização de quitosano como revestimento edível tem sido uma alternativa no tratamento pós-colheita de uva de mesa com bons resultados. Tendo em consideração que a preparação de revestimentos à base deste biopolímero é realizada em solução de ácido acético, pretendeu-se ainda avaliar se a aplicação do referido ácido terá alguma influência nas características físico-químicas da uva de mesa durante o período de conservação a 1 °C e HR de 95%.

Do presente estudo conclui-se que a modalidade de ácido acético apresentou pior comportamento que a modalidade controlo e que para além disso não se verificaram interferências negativas deste ácido na solução de quitosano. A conservação de uva de mesa foi facilmente conseguida até aos 14 dias de conservação em frio com a utilização do revestimento edível à base de quitosano na concentração de 0,8%.

Publicado
2019-01-09
Secção
Geral