Morfofisiologia de aceroleira irrigada com águas salinas sob combinações de doses de nitrogênio e potássio

  • Cícero F. de Sousa Alvarenga
  • Evandro M. da Silva
  • Reginaldo G. Nobre
  • Hans R. Gheyi
  • Geovani S. de Lima
  • Luderlândio de A. Silva

Resumo

Propôs-se com a presente pesquisa avaliar o efeito de diferentes combinações de doses de nitrogênio e potássio sobre o crescimento e a fisiologia da cultura da aceroleira irrigada com águas salinas. O experimento foi realizado em campo, no CCTA/UFCG, em delineamento de blocos ao acaso, e tratamentos dispostos em esquema fatorial 5 x 4, referentes a cinco salinidades da água de irrigação (CEa) de 0,3; 1,3; 2,3; 3,3 e 4,3 dS m-1 e quatro combinações (C) de doses recomendadas de nitrogênio e potássio, sendo C1 = 70%N + 50%K2O; C2 = 100%N + 75%K2O; C3= 130%N + 100%K2O e C4= 160%N + 125%K2O, com três repetições, uma planta por parcela, totalizando 60 parcelas sem bordadura. A combinação das doses de 70%N (35 g de N) + 50% K2O (20 g de K2O por planta) foi mais efetiva no aumento das trocas gasosas, promovendo maior crescimento de plantas. A maioria das variáveis de crescimento e as fisiológicas não foram comprometidas pela irrigação com salinidade da água de até 4,3 dS m-1 e, não houve mitigação do estresse salino pela combinações das doses de adubação nitrogenada e potássica.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2019-02-05
Secção
Geral