Compostos voláteis da acerola (Malpighia emarginata) obtidos por HS-SPME em dois estágios de maturação

  • Gerby Giovanna Rondan-Sanabria
  • Ausberta Jesus Cabezas Garcia
  • Holger Saul Perez Montaño
  • Erika Catherine Salas Arias
  • Narendra Narain

Resumo

O aroma é uma das principais características dos alimentos e é determinado por uma combinação de moléculas voláteis presentes na matriz, sendo um dos seus atributos mais atraentes para o consumidor. Neste trabalho foram identificados compostos voláteis presentes em dois estágios de maturação da acerola. Para a análise, utilizou-se a técnica da microextração em fase sólida por headspace (HS-SPME – HeadSpace Solid Phase MicroExtraction) associada com a cromatografia gasosa de alta resolução acoplada a espectrômetro de massa (GC-MS – Gas Chromatography - Mass Spectrometry). A influência das fibras na extração dos voláteis via SPME (CAR/PDMS e DVB/CAR/PDMS) foi avaliada. Os efeitos da temperatura de extração, concentração do meio de extração (cloreto de sódio - NaCl) e quantidade de amostra foram estudados usando-se o Delineamento Central Composto (DCC) para avaliar a maior eficiência de extração. Observou-se que, na acerola madura (vermelha) e semimadura (amarela) os compostos predominantes foram os ésteres, dentre eles o etil hexanoato o 4-pentenil-butanoato foram os que apresentaram maior concentração relativa. Esta identificação é uma informação importante para a indústria de aromas, que utilizam diferentes compostos aromáticos para a formulação de fragrâncias e aromas para serem usados em alimentos, cosméticos e perfumes.

Publicado
2019-02-06
Secção
Geral