Eficácia de fungicidas in vitro para Stemphylium vesicarium da pereira

  • João Pedro Luz
  • Conceição Amaro
  • Raquel Isabel
  • Anamarija Jambrek
  • Dulce Barrios

Resumo

Stemphylium vesicarium (teleomorfo Pleospora allii), agente causal da estenfiliose da pereira, é atualmente o fungo responsável pelos maiores prejuízos na produção de pera na região Oeste de Portugal. O aparecimento da doença tem sido recorrente nos últimos anos, existindo um risco elevado de desenvolvimento de resistência de S. vesicarium aos fungicidas utilizados. Cinco fungicidas foram testados em ensaios in vitro para S. vesicarium: fluopirame, iprodiona, tebuconazol, tirame e trifloxistrobina. Foram executados três tipos de ensaios: testes preliminares de avaliação da sensibilidade de S. vesicarium a 10 mg.mL-1 de substância ativa fungicida no crescimento micelial do fungo, concentração mínima inibitória (MIC) e eficácia dos fungicidas na germinação de esporos. Nos testes preliminares de avaliação da sensibilidade aos fungicidas foram usados 53 isolados do fungo e na determinação da MIC foram utilizados quatro isolados, todos provenientes da região Oeste de Portugal e obtidos em 2015. Nos testes preliminares, todos os isolados revelaram insensibilidade aos fungicidas fluopirame, tebuconazol e trifloxistrobina, mas só 13% foram insensíveis à iprodiona. A MIC variou entre 100 e 500 mg.L-1 para tebuconazol e entre 4.000 e 20.000 mg.L-1 para trifloxistrobina. A eficácia dos fungicidas na inibição da germinação de esporos de S. vesicarium foi muito reduzida, tendo sido obtida uma mortalidade máxima de 61% com fluopirame, mas somente para um dos isolados. Nenhum dos fungicidas ensaiados revelou simultaneamente eficácia na inibição do crescimento micelial e na germinação de esporos in vitro de S. vesicarium.

Publicado
2019-03-10
Secção
Geral