EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO SOBRE A RESISTÊNCIA DA MADEIRA DE CAMBARÁ A CUPINS SUBTERRÂNEOS

  • Rafael Rodolfo de Melo Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Andrey Gregory da Mota Ferreira e Silva Universidade Federal de Mato Grosso
  • Marlus Sabino Universidade Federal de Mato Grosso
  • Diego Martins Stangerlin Universidade Federal de Mato Grosso
  • Felipe Gomes Batista Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maila J.C. de Souza

Resumo

O trabalho avaliou a influência da termorretificação na resistência ao ataque de cupins em madeira de Qualea paraensis. A madeira utilizada no experimento foi submetida à termorretificação com duas temperaturas (180 e 200°C) e dois períodos de permanência em estufa (120 e 240 min.). Após os tratamentos térmicos, as amostras de madeira foram submetidas ao ensaio de biodegradação, sendo mantidas em ambiente controlado, com presença do cupim Nasutitermes corniger. (Dictyoptera: Termitidae), durante 45 dias. Os resultados foram submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de significância. Os diferentes tratamentos térmicos alteraram as características avaliadas para a madeira de Qualea paraensis. Três dos quatro tratamentos térmicos avaliados aumentaram a massa específica da madeira. Contudo, também foi verificado um aumento da suscetibilidade da madeira ao ataque de cupins de madeira úmida.

Publicado
2019-08-13
Secção
Geral