Uso e manejo na relação quantidade/intensidade e adsorção de potássio em Vertissolo

  • Lucia Helena Garófalo Chaves UFCG
  • Ana Carolina Feitosa de Vasconcelos UFCG
  • Washington Benevenuto de Lima UFCG
  • Josely Dantas Fernandes UFCG
  • Iêde de Brito Chaves UFCG
  • Jacqueline da Silva Mendes UFCG

Resumo

A disponibilidade de K para as plantas depende da quantidade de potássio trocável (Q) e de potássio em solução (I), e da relação Q/I. Objetivou-se avaliar a disponibilidade de K para culturas por meio das curvas Q/I e ajustar as isotermas de Langmuir e Freundlich a dados de adsorção de K em Vertissolo. Foram coletadas amostras de Vertissolo com vegetação natural arbórea (mata) e culturas anuais (roçado) em duas localidades. Dados de adsorção de K nas amostras foram usados para construir isotermas de adsorção, obtendo-se os coeficientes das equações de Freundlich e Langmuir. A curva Q/I foi obtida plotando-se QAK (I) versus ∆K (Q), e indicou a presença de baixos valores de K lábil. As amostras de Vertissolo do distrito de Galante apresentaram maior disponibilidade de K na solução desses solos. As isotermas de adsorção demonstraram que as quantidades de K adsorvidas aumentaram com a concentração da solução de equilíbrio. Os modelos de Langmuir e Freundlich são bem ajustados às amostras de solo. A amostra de solo coletada em Galante no sistema de uso e manejo “mata” apresentou maior capacidade máxima de adsorção de K. Em Queimadas, a retenção de potássio no “roçado” foi maior do que na “mata”.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2019-08-12
Secção
Geral