ÚLCERA DE LIPSCHUTZ COMO MANIFESTAÇÃO DE PRIMO-INFEÇÃO POR VÍRUS EPSTEIN-BARR

Authors

  • Juliana Maciel
  • Katarina Kieselová
  • Victoria Guiote
  • Martinha Henrique
  • Teresa Rezende

DOI:

https://doi.org/10.25753/BirthGrowthMJ.v24.i0.9460

Abstract

Introdução: A úlcera de Lipschutz é uma entidade rara, clinicamente caracterizada pelo aparecimento súbito de úlceras vulvares dolorosas em mulheres jovens sexualmente não ativas, rara em crianças. A etiologia é desconhecida, mas recentemen- te surgiram vários relatos que relacionam a primo-infeção pelo vírus Epstein-Barr com esta entidade. O diagnóstico é equa- cionado após exclusão de outras causas de ulceração genital, nomeadamente causas autoimunes, traumáticas e de doenças sexualmente transmissíveis.

Caso Clínico: Apresenta-se o caso de uma criança de 12 meses, que surge com ulceração vulvar dolorosa, associada a febre e otite média aguda. Dos exames complementares reali- zados, de salientar a serologia para vírus Epstein-Barr positiva e restante estudo analítico sanguíneo e de imunodeficiências negativo. A evolução foi favorável, com resolução das lesões após 6 semanas e sem recorrência durante os 6 meses de seguimen- to em consulta.

Comentários: Quando as causas mais comuns de úlcera genital são excluídas e não há história de contato sexual, a úlcera de Lipschutz deve ser incluida no diagnóstico diferencial, em particular nesta faixa etária.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2016-07-07

How to Cite

1.
Maciel J, Kieselová K, Guiote V, Henrique M, Rezende T. ÚLCERA DE LIPSCHUTZ COMO MANIFESTAÇÃO DE PRIMO-INFEÇÃO POR VÍRUS EPSTEIN-BARR. REVNEC [Internet]. 2016Jul.7 [cited 2022Dec.1];24:S23. Available from: https://revistas.rcaap.pt/nascercrescer/article/view/9460

Most read articles by the same author(s)