HÉRNIA DIAFRAGMÁTICA DE MORGAGNI – UM ACHADO RADIOLÓGICO

  • Catarina Sousa
  • Tânia Lopes
  • Ana Coelho
  • Sofia Marinho
  • Rafael Bindi
  • Ribeiro de Castro
  • Ferreira de Sousa
  • J. M. Gonçalves de Oliveira
  • Fátima Carvalho

Abstract

Introdução: As hérnias diafragmáticas congénitas ocorrem em 1/2000 a 1/4000 recém-nascidos. As mais comuns são as hérnias de Bochdalek, com defeito diafragmático posterolateral, habitualmente com diagnóstico pré-natal ou no período neonatal, contrariamente às hérnias de Morgagni (defeito diafragmático anterior) que são uma entidade rara, constituindo cerca de 5% de todas as hérnias diafragmáticas, e habitualmente assintomáticas até ao seu diagnóstico acidental numa radiografia torácica ou abdominal. A maioria das hérnias de Morgagni (90%) ocorrem à direita e apenas 8% à esquerda, sendo 2% bilaterais. A correcção cirúrgica é recomendada em todos os casos de modo a evitar o risco de complicações, nomeadamente o encarceramento intestinal.

Caso Clínico: Apresentamos o caso clínico de um lactente de 8 meses, sexo masculino, que recorreu ao serviço de urgência por quadro arrastado de febre e rinorreia. No decurso da investigação realizou radiografia torácica para despiste de infecção das vias aéreas inferiores, tendo sido encontrada uma hipotransparência paracardíaca esquerda sugestiva de conteúdo intestinal intratorácico, que foi melhor esclarecida em tomografia axial computorizada como sendo uma hérnia de Morgagni à esquerda. Dado o risco de oclusão e encarceramento intestinal, foi submetido electivamente a herniorrafia diafragmática laparoscópica após confirmação de defeito diafragmático anterior esquerdo com cerca de 5 cm contendo maioritariamente cólon. Sem intercorrências no período pós-operatório imediato e tardio e com alta para o domicílio após 48 horas. A radiografia torácica realizada 1 mês após o procedimento, revela cúpulas diafragmáticas normoposicionadas, sem imagem de recidiva.

Comentários: A hérnia de Morgagni é uma entidade clínica rara, habitualmente com apresentação tardia e com diagnóstico realizado numa radiografia ocasional. Este caso assume importância pela raridade da entidade e pelo tratamento minimamente invasivo, isto é, trata-se de uma hérnia de Morgagni esquerda submetida a correcção laparoscópica bem sucedida.

Published
2016-07-07
How to Cite
Sousa, C., Lopes, T., Coelho, A., Marinho, S., Bindi, R., de Castro, R., de Sousa, F., de Oliveira, J. M. G., & Carvalho, F. (2016). HÉRNIA DIAFRAGMÁTICA DE MORGAGNI – UM ACHADO RADIOLÓGICO. NASCER E CRESCER - BIRTH AND GROWTH MEDICAL JOURNAL, 24, S30. https://doi.org/10.25753/BirthGrowthMJ.v24.i0.9641

Most read articles by the same author(s)

1 2 3 > >>