Características fisiológicas de Crambe abyssinica sob aplicação de herbicidas

  • Germani Concenço
  • Evander A. Ferreira
  • Rodolpho F. Marques
  • Tiago C. Nunes
  • Sabrina A. Santos
  • Waggner G. Palharini
  • Ilce R. Marschall
  • Maxwell E.S. Alves
  • Cristane G. Mendonça

Resumo

O cultivo de Crambe abyssinica é recente no Brasil, existindo carência de informações sobre a sua gestão no que concerne à obtenção de elevada produtividade com o mínimo de risco económico e ambiental. O objetivo deste trabalho consistiu em avaliar o efeito dos herbicidas aplicados em doses crescentes, nas características fisiológicas de crambe. Os ensaios foram conduzidos em blocos casualizados com quatro repetições, no arranjo fatorial 5x4+1, onde o fator A representou cinco herbicidas e o fator B as doses testadas, além de uma testemunha sem aplicação. Foram avaliados os seguintes herbicidas e doses: fluazifope-p-butilo 0,25; 0,75; 1,0 e 1,5 L ha-1; cletodime 0,1; 0,3; 0,4 e 0,6 L ha-1; bentazona+imazamoxi 0,25; 0,75; 1,0 e 1,5 L ha-1; s-metolacloro 0,38; 1,13; 1,5 e 2,25 L ha-1; e setoxidime 0,25; 0,75; 1,0 e 1,5 L ha-1. As plantas de crambe apresentaram respostas diferenciadas à aplicação dos herbicidas. Todas as substâncias activas estudadas causa-ram efeitos negativos nas características fisiológicas da cultura; a mistura bentazona+imazamoxi promoveu a morte das plantas na dose de rótulo. Os herbicidas fluazifope-p-butilo, s-metolacloro e setoxidime provocaram redução drástica na taxa fotossintética nas maiores doses, e a eficiência no uso da água foi afetada por todos os herbicidas testados.

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.
Publicado
2019-01-20
Secção
Geral