Brazilian beef exports to the main destinations: a persistence to shocks analysis

Resumo

O Brasil é indiscutivelmente um dos maiores players do agronegócio da atualidade, possui uma agropecuária competitiva, uma agroindústria pujante e instituições sólidas. As exportações em 2018 desse segmento da economia brasileira ultrapassaram US$ 85 bi, sendo o complexo carnes responsável por US$ 14,7 bi. No entanto, o Brasil sofre pressões internas e externas, o que afeta as expectativas dos agentes e gera grandes ruídos para os produtores, especialmente aos exportadores. Diante disso, o objetivo desse artigo é o de analisar se as séries de exportações de carne bovina, em moeda (US$) e em volume comercializado (Kg), para os principais destinos apresentam persistência aos choques. Especificamente, busca testar a presença de memória longa nas séries, verificar a existência de quebra estrutural nos dados e identificar se há heterogeneidade no comportamento das séries. A metodologia está baseada na econometria de Séries Temporais, especificamente no teste de long memory de Robinson et al. (1995a) para a identificação do grau de persistência aos choques. Os resultados apontaram que as séries possuem memória longa, evidenciando assim que o mercado exportador brasileiro de carne bovina é consolidado internacionalmente e que os choques exógenos não afetam de forma persistente e permanente as exportações.

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.
Publicado
2020-05-09
Secção
Geral