COMPETITIVIDADE E INSERÇÃO DA SOJA BRASILEIRA NO MERCADO INTERNACIONAL

  • Caroline Marques Ramos
  • Marcia Gonçalves Pizaia Artigo submetido ao nº especial da RCA, no âmbito do IX Congresso da APDEA/ESADR2019
  • Carlos Eduardo Caldarelli
  • Marcia Regina Gabardo da Camara

Resumo

Este artigo objetiva analisar o grau de competitividade e inserção da soja brasileira no mercado externo, no período de 2008 a 2016, através do Índice de Vantagem Comparativa Revelada Simétrica (IVCRS), do Índice Orientação Regional (IOR) e do método Constant Market Share (CMS). Os resultados obtidos através do IVCRS revelaram que apesar dos Estados Unidos serem o principal país exportador da cultura, a vantagem comparativa do Brasil e da Argentina é maior na atualidade. O modelo CMS permitiu identificar as principais fontes de crescimento das exportações brasileiras do complexo agroindustrial de soja, onde as taxas de competitividade obtiveram valores significativos, subiram de 20,38 para 63,67, indicando que as altas taxas de exportações brasileiras são responsáveis pela competitividade do Brasil em produzir e exportar o produto. O IOR revelou os principais destinos das exportações brasileiras do complexo soja. Para a soja em grão, foi notável a forte tendência das exportações para China. As exportações de farelo de soja foram pulverizadas e as exportações óleo de soja decresceram. Conclui-se que as exportações do complexo soja aumentaram significativamente graças à competitividade brasileira, porém com a concentração em apenas um produto, a soja em grão.

Palavras-chave: IVCRS, IOR, Constant Market Share.

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.
Publicado
2020-05-09
Secção
Geral