Repensar a Cadeia de Valor do cacau biológico de São Tomé e Príncipe

Resumo

O cacau, uma commodity importante na economia de São Tomé e Príncipe (STP) por garantir subsistência, criar emprego e desenvolvimento de microeconomias locais e contribuir para o PIB e para a imagem do país, vem perdendo espaço no mercado internacional, pela queda do preço mundial e pela existência de monopólio ou de concentração de poder de alguns intervenientes da cadeia de valor internacional do cacau. Em consequência, não tendo o país condições para competir em termos quantitativos nem para realizar investimentos noutras economias de escala, a produção e o rendimento do produtor tem vindo a diminuir. O objetivo deste artigo foi o de caracterizar e repensar a cadeia de valor do cacau biológico em STP, identificando as suas fragilidades e potencialidades, propondo formas para a criação de valor e melhoria da sua sustentabilidade e imagem internacional. Os resultados sugerem que repensar a cadeia de valor, passa pela criação de uma IGP com um controlo oficial eficaz e uma componente de promoção coletiva que permita ganhar eficiência ou escala, em articulação, de uma forma estratégica e operacional, com o turismo, o café biológico e, a gastronomia, entre outros sectores fundamentais.

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

Ibrahim Cravid Prazeres, Universidade de Évora
Ibrahim Cravid dos Prazeres, Licenciado em Comunicação aplicada em Marketing, Publicidade e Relações Públicas, pelaUniversidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Faculdade de Ciência Política Lusofonia e Relações Internacionais, Lisboa,  em 2008.  Mestre em Gestão, especialização Marketing, Universidade de Évora,  em 2018. Aluno do curso de doutoramento em Agroneg´ócios e Sustentabilidade das Universidades de Évora e de Trás-os-Montes e Alto Douro desde 2019. Administrador daAgro-Pecuária Akwa Ibom, Lda em São Tomé.
Publicado
2020-05-09
Secção
Geral