Comportamento fisiológico das sementes de Cojoba arborea (L.) Britton & Rose submetidas à secagem

Autores

  • Marta Betânia Ferreira Carvalho Lucineide Ferreira de Oliveira Souza/ Paulo Ernandes Carvalho de Souza
  • Matheus Favaro Moreira Instituto Federal de Rondônia https://orcid.org/0000-0003-0074-8433
  • Andreza Pereira Mendonça Instituto Federal de Rondônia

DOI:

https://doi.org/10.19084/rca.20646

Resumo

O manejo de sementes recalcitrantes continua sendo um desafio sem solução e não existe um método satisfatório para manter sua viabilidade no longo prazo. O trabalho avaliou o efeito da secagem das sementes de C. arborea sobre seu comportamento fisiológico e grau de recalcitrância. Na determinação do grau de recalcitrância aplicaram-se testes germinativos em sementes com diferentes teores de umidade. O teste foi dividido em duas etapas: processo de secagem e teste de germinação. A tolerância a secagem foi determinada ao colocar as sementes sobre uma peneira com malha de 5 mm em ambiente com ar-condicionado. Ao final de cada cinco dias, foi determinado o teor de água e ainda realizado
semeadura. Com os dados da germinação foram calculados índices de velocidade e tempo médio de germinação. As variáveis de porcentagem de germinação, tempo médio de germinação e vigor foram aplicadas análise de variância (ANOVA) seguida pelo teste Tukey (p < 0,05) para comparação entre as médias. As sementes foram dispersas com alto teor de umidade, 55,4%, e tiveram viabilidade e vigor comprometidos quando secas, caracterizando-as como recalcitrante. O teor de água crítico foi a partir de 23,69%, enquanto o grau de umidade letal ficou a partir de 17,99%.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-10-23

Edição

Secção

Geral