A vigilância de saúde e o índice de dentes cariados, perdidos e obturados em crianças

Autores

  • Isabel Bica Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu, CI&DETS. CINTESIS, Center for Health Technology and Services Research https://orcid.org/0000-0002-7019-0132
  • Lúcia Oliveira ACES Dão Lafões, UCC Mirante do Seixo
  • Javier Montero Universidade de Salamanca
  • José Costa Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu, CI&DETS. Portugal
  • Estudantes 25º CLE, ESSV, IPV Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu

DOI:

https://doi.org/10.48492/servir023.24005

Palavras-chave:

Saúde Bucal, Índice de cpod/CPOD, Crianças

Resumo

INTRODUÇÃO

As doenças orais são um grande problema de saúde pública porque afetam grande parte da população, nomeadamente, crianças em idades precoces (DGS, 2008).

OBJETIVO

Avaliar o índice cpod/CPOD nas crianças em idade pré-escolar e escolar;

Analisar a saúde das crianças (vigilância de saúde e higiene oral) e os hábitos alimentares.

MÉTODOS

Estudo quantitativo, descritivo, exploratório e observacional numa amostra não probabilística por conveniência composta por 222 crianças (54.95% do sexo feminino e 45.05% do sexo masculino), com idades compreendidas entre os 3 e os 8 anos, a frequentar o ensino pré-escolar e escolas do 1º ciclo do ensino básico do concelho do Sátão.

A colheita de dados foi efetuada através de um questionário sobre vigilância de saúde e comportamentos das crianças, respondido pelos pais. A observação da boca/dentes para a determinação do cpod/CPOD (dentição decídua e permanente) cumpriu os critérios de diagnóstico da Organização Mundial de Saúde (OMS,1997).

RESULTADOS

A vigilância de saúde nas crianças foi de 98,2% (100% rapazes e 96,7% raparigas), das quais 93,7% foram orientadas no âmbito da saúde e da higiene oral. As crianças tinham, em média,1.1 de cáries, havendo, no entanto, 61,9% das crianças sem cárie. Verificou-se que as crianças com problemas de saúde são as que revelam maior índice CPOD, com diferença estatística significativa (Z=1018.00; p=.020), assim como as crianças que tomavam medicação (Z=924.00; p=.009). O índice cpod é influenciado pelas crianças que escovam os dentes sozinhas, dor de dentes, sangramento das gengivas e conhecimento dos pais sobre a influência da alimentação.

CONCLUSÕES

Na consulta de vigilância de saúde infantil, os pais referiram que em 56,8% dos casos o enfermeiro não observou a boca das crianças. Os resultados sugerem a necessidade de uma maior intervenção do enfermeiro na vigilância e promoção da saúde oral das crianças.

Referências

Bica, I., Duarte, J., Camilo, A., Jesus, A., Ferreira, C., Oliveira, F. & et al. (2014). Qualidade de Vida Relacionada com a Saúde Oral: Perceção Parental das Crianças em Idade Pré‐Escolar. Millenium, 47 (jun/dez). p. 141‐152.

Carvalho, J. P. (2010). Fatores sócio-demográficos e comportamentais e saúde oral numa população odontopediátrica. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, Portugal.

Cypriano, S.; Sousa, M.,L.,R.; Wada, R.,S.(2005). Avaliação de índices CPOD simplificados em levantamentos epidemiológicos de cárie dentária. Revista Saúde Pública. Brasil. Acedido em http://www.scielo.br/pdf/rsp/v39n2/24054.pdf

DGS - Direção Geral da Saúde (2008a). Estudo nacional de prevalência das doenças orais. Lisboa: DGS. Acedido em . http://www.dgs.pt/default.aspx?cr=12995

DGS - Direção Geral da Saúde (2011). Orientação nº007, de 25/03/2011 - Programa nacional de promoção da saúde oral - Plano B:. Disponível em http://www.dgs.pt/documentos-e-puclicacoes/estudo-nacional-de-prevalencia-das-doencas-orais-pdf.aspx

Gonçalves, J.E.P. (2014). Avaliação do risco de cárie dentária em crianças com 6 anos de idade no âmbito do Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral. (Dissertação de Mestrado). Universidade Católica Portuguesa, Viseu, Portugal.

Lima, J. E. O. (2007). Cárie dentária; um novo conceito. Revista Dental Press Ortodon Ortop Facial 119 Maringá, v. 12, n. 6, p. 119-130, nov./dez.

Regra, D. G. S. (2011), Promoção da Saúde Oral: uma experiência de prevenção de cárie num concelho rural. (Dissertação de Mestrado) Universidade Nova de Lisboa. Lisboa. Portugal.http://run.unl.pt/bitstream/10362/7711/1/Regra%20Delmira%20TM%202011.pdf

World Health Organization (1997). Oral health survey: basic methods. 4th ed. Geneva; 1997.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

Bica, I., Oliveira, L., Montero, J., Costa, J., & Estudantes 25º CLE, ESSV, IPV. (2016). A vigilância de saúde e o índice de dentes cariados, perdidos e obturados em crianças . Servir, 59(3), 16–16. https://doi.org/10.48492/servir023.24005