Uma abordagem interpretativa aos usos dos meios deslocação e transporte nas mobilidades casa-trabalho: um estudo exploratório (d)na Cidade do Luxemburgo

  • Heidi Martins Universidade do Luxemburgo e Universidade do MInho
  • Emília Araújo

Abstract

Este artigo tem como objetivo descrever e analisar um conjunto de narrativas sobre os usos dos meios de transporte e de deslocação recolhidas na Cidade do Luxemburgo através da modalidade de entrevista em movimento, conjugada com a utilização da observação direta. Estudos diversos têm versado sobre as mobilidades pendulares ligadas aos trajetos casa-trabalho e vice-versa, enquanto fenómenos estáticos, debruçando-se, nomeadamente, sobre a caraterização dos fluxos e dos motivos que levam os atores a usarem um ou outro meio de deslocação, de forma continuada e rotineira. Neste texto, apresentamos uma análise ao fenómeno que privilegia a dimensão criativa dos trajetos casa-trabalho, elucidando a forma como estes são objetos de composição e de construção, por parte dos sujeitos, refletindo formas de avaliar e pensar sobre a vida, assim como de participar de forma ativa na desconstrução e na crítica às formas de (re) produção social do espaço e do tempo da cidade. O texto formula algumas considerações acerca do interesse das abordagens centradas nas narrativas da mobilidade para a compreensão das escolhas e usos dos meios de transporte e deslocação.

The aim of this article is to describe and analyze a set of narratives about the uses of transportation means. These narratives were collected in the City of Luxembourg through walking interviews, combined with the use of direct observation. Several studies have dealt with the home-work everyday mobilities, as a static phenomenon, focusing on the characterization of the flows and on the reasons given by actors to use certain means of displacement, in a continuous and routinized way. In this text, we present an analysis of the phenomenon that privileges the creative dimension of the home-work paths, clarifying the way these times and spaces are matters of personal composition and construction, reflecting modes of evaluating and thinking about life, as well as of participating actively in deconstruction and criticism of the forms of (re) social production of space and time in the city. The text makes some considerations about the interest of the approaches centered in the narratives of the mobility for the understanding of the choices and the uses of means of transport and displacement.

Published
2018-01-03
Section
Dossier Articles