Comparação entre diferentes formulações de Neurotoxina Botulínica A no tratamento da endotropia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48560/rspo.10224

Palavras-chave:

Estrabismo, neurotoxina botulínica, endotropia, ptose palpebral

Resumo

OBJECTIVOS: Comparar a resposta motora e os efeitos adversos das formulações onatoxina e incotoxina em doentes com endotropia.

MATERIAL E MÉTODOS: Estudo unicêntrico, longitudinal com análise de processos de doentes com o diagnóstico de endotropia e tratamento com Neurotoxina Botulínica A como primeira linha entre julho de 2006 e julho de 2015. Dados: tipo de toxina; ângulo do desvio; tipo de desvio; idade de injeção; equivalente esférico; 1ª vez vs subsequente e ptose temporária. Foi realizada análise estatística com investigação da associação entre as variáveis de interesse (análise univariada e multivariada).

RESULTADOS: Estudados 180 doentes, totalizando 231 injeções (161 de onatoxina e 70 de incotoxina). O desvio médio ao perto e ao longe não diferiu nos grupos injetados com onatoxina ou incotoxina aos seis ou doze meses (p > 0,05) mas difere aos trinta dias (IC95% = -14.4 ± 3,14, p < 0,01). Aos trinta dias após a injeção, a formulação ONA está associada a hipercorreção do desvio para perto (β= - 5.43, IC95% = [-10.86, -0,00], p=0.05) e para longe (β=-4.40, IC95% = [-9.52, 0.73], p=0,09). No grupo onatoxina verificou-se maior frequência de ptose temporária associada a um risco relativo de 2,34 (IC95% = [1.16, 4,71], p = 0,02).

CONCLUSÕES: O tipo de neurotoxina botulínica A injetado não influencia a resposta motora aos seis ou doze meses após a injeção. A formulação onatoxina está associada a hipercorreção aos trinta dias após a injeção e apresenta maior frequência de efeitos adversos locais temporários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Diogo Reis Cabral, Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto

Interno de Formaçáo Específica em Oftalmologia

Downloads

Publicado

2020-01-12

Como Citar

Cabral, D. R. (2020). Comparação entre diferentes formulações de Neurotoxina Botulínica A no tratamento da endotropia. Revista Sociedade Portuguesa De Oftalmologia, 44(1). https://doi.org/10.48560/rspo.10224

Edição

Secção

Artigos originais