APLICABILIDADE DA REGRA ISNT , IST E IS NO ANEL NEURORRETINIANO DE UMA POPULAÇÃO NORMAL UTILIZANDO TOMOGRAFIA DE COERENCIA OTICA

  • Filipa Rebordão Caiado Sousa Centro Hospitalar Lisboa Norte - Hospital Santa Maria
  • André Barata Centro Hospitalar Lisboa Norte - Hospital Santa Maria
  • Sofia Mano Centro Hospitalar Lisboa Norte - Hospital Santa Maria
  • Inês Leal Centro Hospitalar Lisboa Norte - Hospital Santa Maria
  • Filomena Pinto Centro Hospitalar Lisboa Norte - Hospital Santa Maria
Palavras-chave: Regra ISNT, anel neurorretiniano, tomografia de coerência ótica

Resumo

Objetivos: perceber a aplicabilidade da regra ISNT, IST e IS no anel neurorretiniano numa base populacional normativa, assim como a influência da idade, sexo e raça nessa regra e também a relação com a área do disco ótico.

Materiais e métodos: Estudo prospectivo com 94 doentes que realizaram tomografia de coerência ótica Heidelberg Spectralis (módulo de Glaucoma versão de software 6.0), no Serviço de Oftalmologia do Hospital de Santa Maria. Foram analisadas as medidas da área do disco ótico/área de abertura da membrana de Bruch (Bruch Membrane Opening - BMO), a espessura do anel neurorretiniano (Minimum Rim Width - MRW), e a espessura da camada de fibras nervosa peripapilar (Peripapilary Retinal Nerve Fiber Layer - pRNFL) nos diferentes quadrantes.

Resultados: Obtivemos uma amostra constituída por 188 olhos de 94 doentes com uma idade média de 55 anos. A regra ISNT verificou-se em 23% dos olhos, a regra IST verificou-se em 71% dos olhos e a regra IS verificou-se em 73% dos olhos.

Conclusões: A regra ISNT não se aplica à espessura do anel neurorretiniano medido pelo OCT Heidelberg Spectralis (MRW/BMO), uma vez que  que apenas 23% dos olhos obedeceram a essa regra. As regras IS e IST parecem ser mais representativas da população normal. A exclusão do quadrante nasal aumenta a especificidade da regra. 

Publicado
2018-08-14
Secção
Artigos originais