Retinopatia da Prematuridade numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais de referência nacional

Autores

  • Patrícia José Figueiredo Lopes Interna Formação Específica
  • Filipa Teixeira Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte
  • Rita Espírito Santo
  • Filipa Caiado Sousa
  • Rita Rosa

DOI:

https://doi.org/10.48560/rspo.18880

Resumo

Introdução e Objetivo: A retinopatia da prematuridade é uma patologia vasoproliferativa que afeta o recém-nascido prematuro. O objetivo deste trabalho consistiu em analisar os principais fatores de risco da patologia numa unidade de cuidados intensivos neonatais de referência a nível nacional.

Material e Métodos: Estudo retrospetivo que incluiu todos os recém-nascidos com idade gestacional <32 semanas e/ou peso gestacional ≤ 1500g admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Hospital de Santa Maria de janeiro de 2015 a dezembro de 2017. Determinámos a incidência e analisámos os principais factores de risco associados ao desenvolvimento da doença.

Resultados: Incluímos 144 recém-nascidos, 42% desenvolveram retinopatia da prematuridade. A doença foi simétrica em 95% dos casos. O estadio 2 foi o mais frequente (50%) e as zonas II e III as mais envolvidas (98%). A maioria não apresentou doença pré-plus/plus (93%). Um doente teve doença agressiva posterior. O tratamento com laser/antiangiogénicos foi necessário em 10%. Demonstrou-se relação da patologia com os seguintes factores de risco (p<0.05): muito baixo peso ao nascer, menor idade gestacional, hemorragia intracraniana, persistência do canal arterial, displasia broncopulmonar, uso de surfactante/ibuprofeno/concentrado eritrocitário, trombocitopenia, necessidade de transfusão plasmática, sépsis e presença de infeção materna durante gravidez.

Discussão: A incidência da patologia foi superior a 1/3 na população de recém-nascidos estudada sendo vários os fatores associados ao seu desenvolvimento.

Conclusão: O rastreio oftalmológico e o tratamento precoce das lesões são essenciais para evitar o desenvolvimento de sequelas oftalmológicas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-10-24

Como Citar

Lopes, P. J. F., Teixeira, F., Santo, R. E., Sousa, F. C., & Rosa, R. (2020). Retinopatia da Prematuridade numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais de referência nacional. Revista Sociedade Portuguesa De Oftalmologia, 44(4). https://doi.org/10.48560/rspo.18880

Edição

Secção

Artigos originais