Risco de Suicídio e Síndrome de Desmoralização no Doente Oncológico

  • Teresa Carvalhão
  • César Cagigal
  • Margarida Viana
  • Ana Sofia Cabral
Palavras-chave: Psico-Oncologia, psiquiatria, síndrome de desmoralização, suicídio, depressão

Resumo

Introdução: Uma doença crónica ou debilitante da saúde física constitui um fator de risco de suicídio. Assim, o diagnóstico de uma doença oncológica pode estar associado a um aumento do risco de suicídio, na medida em que se constitui como um importante fator de stress, causador de sofrimento físico e psicológico.

Objetivos e Métodos: Foi realizada revisão clássica da literatura com pesquisa nas bases de dados PubMed, National Guideline of Clearinghouse, The Cochrane Library, Organização Mundial de Saúde e em obras literárias de relevância clínica da especialidade e referências bibliográficas, bem como se procedeu à consulta detalhada do processo clínico de um doente.

Resultados e Conclusões: A Síndrome de Desmoralização é definida como um cluster de sintomas referidos como sentimentos de impotência, falta de esperança, isolamento e desespero em que o doente se considera indefeso e para além de qualquer ajuda, com falência de estratégias de adaptação a perturbações do meio, quer internas quer externas, e associa-se frequentemente a uma vontade expressa de morrer, sendo considerada por alguns autores como o maior fator preditivo para a presença de ideação suicida.

Publicado
2020-07-24
Secção
Casos Clínicos