Preditores de Abstinência Alcoólica numa Amostra de Doentes Portugueses – um Estudo Retrospectivo

  • Diana Matos 1 Life and Health Sciences Research Institute (ICVS), School of Health Sciences, University of Minho, Braga, Portugal. 2 ICVS-3Bs PT Government Associate Laboratory, Braga/Guimarães, Portugal
  • Jorge Gonçalves Hospital de Braga, Braga, Portugal
  • Pedro Morgado 1 Life and Health Sciences Research Institute (ICVS), School of Health Sciences, University of Minho, Braga, Portugal. 2 ICVS-3Bs PT Government Associate Laboratory, Braga/Guimarães, Portugal 3 Hospital de Braga, Braga, Portugal
Palavras-chave: alcoolismo, abstinência

Resumo

Contexto. A dependência alcoólica é uma doença aditiva com elevados níveis de mortalidade e morbilidade. As opções terapêuticas disponíveis incluem intervenções médicas e psicossociais.

Objectivos. Comparar a população de alcoólicos que atingem 1 ano de abstinência total com aqueles que recaem no mesmo período, identificando factores individuais e relacionados com o tratamento preditores de sucesso terapêutico.

Métodos. Após análise comparativa, realizou-se uma regressão logística multivariada para identificar os factores relacionados com o tratamento que predizem abstinência total em pacientes adultos que reuniam critérios ICD-10 para alcoolismo durante o primeiro ano de tratamento no Departamento de Psiquiatria do Hospital de Braga.

Resultados. Foram incluídos no estudo 590 doentes. A taxa de sucesso (abstinência total) foi de 32,3%. Características individuais como sexo, idade, estado civil ou nível de instrução não se relacionaram com o sucesso do 1º ano de tratamento. Identificaram-se como preditores independentes de abstinência alcoólica total a inexistência de internamentos prévios (OR=0.549;95%CI=0.322-0.936), o internamento (OR=3.765;95%CI=2.061-6.879) e a abstinência no início do tratamento (OR=4.947;95%CI=2.223-11.008).

Conclusões. Os resultados demonstram que a escolha da abordagem inicial no tratamento da dependência alcoólica crónica pode resultar em períodos mais longos de abstinência alcoólica. Estes achados podem ser úteis para aumentar o sucesso das intervenções médicas na prática clínica.
Publicado
2014-06-01
Secção
Artigos Originais