Novos Dados na Relação entre Córtex Pré-frontal e Doença Bipolar

  • Joana Alexandre Serviço de Psiquiatria, Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, EPE
  • Alice Luís Serviço de Psiquiatria, Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, EPE
  • António Gamito Serviço de Psiquiatria, Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, EPE
Palavras-chave: Córtex pré-frontal, Doença bipolar, Neurofisiologia

Resumo

Apresentam-se alguns dados de novos estudos que vêm evidenciar a relação próxima entre córtex pré-frontal e neurofisiologia da doença bipolar. As alterações generalizadas mais frequentes em estudos imagiológicos são hiperintensidades da substância branca subcortical e periventricular. No córtex pré-frontal, a nível subregional, encontra-se uma diminuição do volume da substância cinzenta, com perda de células gliais e atrofia celular. Uma das áreas mais afectadas por esta redução é a área subgenual. Em estudos funcionais encontra-se diminuição da activação do lobo pré-frontal em algumas tarefas. Outros estudos procuraram também relacionar efeitos de fármacos com algumas das alterações encontradas. Há grande variabilidade nos resultados, que pode ser explicada por vários factores, como a heterogeneidade dos doentes ou dos métodos de imagem.

Publicado
2004-06-01
Secção
Artigos de Revisão