Comorbilidade entre Esquizofrenia e Perturbação Obsessivo-Compulsiva: uma revisão

  • Rita Passos 1 Life and Health Sciences Research Institute (ICVS), School of Health Sciences, University of Minho, Braga, Portugal. 2 ICVS-3Bs PT Government Associate Laboratory, Braga/Guimarães, Portugal
  • Maria do Céu Ferreira Hospital de Braga, Braga, Portugal
  • Pedro Morgado 1 Life and Health Sciences Research Institute (ICVS), School of Health Sciences, University of Minho, Braga, Portugal. 2 ICVS-3Bs PT Government Associate Laboratory, Braga/Guimarães, Portugal 3 Hospital de Braga, Braga, Portugal
Palavras-chave: Obsessões, Delírios, Esquizofrenia, Perturbação Obsessivo-Compulsiva, Perturbação Esquizo-Obsessiva.

Resumo

Introdução: A prevalência de sintomas obsessivo-compulsivos e de perturbação obsessivo-compulsiva em pacientes com esquizofrenia primariamente diagnosticada tem aumentado significativamente  nos últimos  anos,  sendo cada vez maior o número de publicações centradas no tema.

Objectivos: A  presente  revisão  visa  analisar os  conceitos  de esquizofrenia,  perturbação obsessivo-compulsiva e a comorbilidade entre ambas as patologias, bem como algumas das características clínicas  que  permitem  distingui-las.

Métodos: Foi realizada uma revisão bibliográfica  no  PubMed  entre  2009-2014,  utilizando as expressões: “Comorbidity between Obsessive-Compulsive  Disorder  and  Schizophrenia” e “Schizo-Obsessive Disorder”.

Resultados  e  Conclusões: A  literatura  disponível incide essencialmente na proposta de teorias explicativas para as elevadas comorbilidades entre a esquizofrenia e a perturbação obsessivo-compulsiva – possibilidade de uma doença ser fator de risco para a outra; existência de fatores de risco comuns; possibilidade de  um fármaco  administrado  para  o  tratamento de uma doença potenciar a outra – e na distinção entre obsessões e delírios e entre compulsões e ações impelidas pelo delírio, essencial ao estabelecimento de um diagnóstico diferencial entre ambas as  doenças. A  controvérsia associada  ao  avanço  de  um novo subtipo de esquizofrenia – perturbação esquizo-obsessiva  –  bem  como  à  relação  de causalidade entre ambas as doenças permite constatar que estudos futuros deverão focar-se com uma precisão ainda maior na relação temporal entre o aparecimento das duas doenças bem como na exploração dos sintomas de uma patologia no curso da outra.

Publicado
2015-06-03
Secção
Artigos de Revisão