Carcinoma de pequenas células da bexiga: um tumor raro e agressivo

  • Rui Tiago Gil Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil
  • Gonçalo Esteves Serviço de Anatomia Patológica, Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, Lisboa, Portugal

Resumo

Os autores apresentam um caso de carcinoma neuroendócrino de pequenas células da bexiga (SmCC) numa mulher de 60 anos de idade que se apresentou no serviço de Urgência com hematúria macroscópica e desconforto pélvico. A tomografia computadorizada revelou um tumor polipóide de base larga na parede posterior da bexiga infiltrando ambos os ureteres e condicionando hidronefrose bilateral. Após tentativa de ressecção transuretral a anatomia patológica mostrou um tumor maligno, não urotelial, e a doente foi encaminhado para o nosso centro. A ressonância magnética realizada para melhor caracterização e estadiamento local, mostrou um tumor agressivo com invasão da gordura perivesical. O SmCC é um tipo raro de tumor da bexiga com apresentação clínica e macroscópica semelhantes ao carcinoma urotelial. Radiologicamente é geralmente um tumor agressivo, com doença avançada no diagnóstico inicial. As características clínicas e radiológicas do SmCC da bexiga são revistas, incluindo uma discussão sobre a utilidade dos marcadores imunohistoquímicos.

Biografia do Autor

Rui Tiago Gil, Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil
Serviço de Radiologia
Publicado
2019-05-03
Secção
Casos Clínicos