Prophylactic balloon-occlusion of the hypogastric arteries in surgical treatment placenta accreta spectrum disorders: how we do it

Autores

  • Raquel Gaio CHULN, E.P.E. https://orcid.org/0000-0003-1296-2197
  • Maria Pulido Valente Department of Obstetrics, Gynecology and Reproductive Medicine, Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, E.P.E., Lisboa, Portugal https://orcid.org/0000-0003-1173-6171
  • Maria de Carvalho Afonso Department of Obstetrics, Gynecology and Reproductive Medicine, Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, E.P.E., Lisboa, Portugal
  • Ana Isabel Simões Ferreira Department of Radiology, Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, E.P.E., Lisboa, Portugal https://orcid.org/0000-0003-3883-3879

DOI:

https://doi.org/10.25748/arp.24581

Resumo

A morbimortalidade associada ao acretismo placentário resulta da hemorragia obstétrica massiva e das suas complicações secundárias, como coagulopatia, falência multiorgânica e morte materna. A oclusão peri-operatória dos vasos pélvicos com balão endovascular mostrou ser eficaz na redução das perdas hemáticas, necessidade transfusional e melhoria das condições cirúrgicas, com baixa incidência de complicações associadas ao procedimento, pelo que é essencial que o Radiologista de Intervenção esteja familiarizado com as indicações e considerações técnicas do uso de balões oclusivos neste cenário clínico. O posicionamento ideal dos balões oclusivos é, contudo, ainda controverso e os protocolos diferem entre as instituições e a experiência local. Usando um caso de placenta increta como exemplo, este artigo fornece uma exposição detalhada dos pormenores técnicos e materiais utilizados no nosso Centro para a oclusão com balão das artérias ilíacas internas (a nossa abordagem preferencial), desde a sala de angiografia até à conclusão da histerectomia no bloco operatório.

Downloads

Publicado

2022-01-13