Disreflexia Autonómica no Peri-operatório

  • Filipa Lagarto Serviço de Anestesiologia - Centro Hospitalar do Porto
  • Pedro Pina Serviço de Anestesiologia - Centro Hospitalar do Porto
Palavras-chave: disreflexia autonómica, lesão vértebro-medular, cirurgia urológica, hipertensão, anestesia geral, bloqueio sub-aracnoideu

Resumo

A disreflexia autonómica caracteriza-se por uma resposta simpática inapropriada em doentes com lesão vertebro-medular ao nível ou acima da sexta vértebra torácica, desencadeada por estímulos nóxicos ou outros provenientes de níveis abaixo da lesão. Apresentamos o caso de uma doente de 48 anos, com lesão traumática vertebro-medular, ao nível da transição cérvico-torácica, submetida a injeção intra-vesical de toxina botulínica, sob anestesia geral inalatória. No intra-operatório apresentou bradicardia acompanhada de hipertensão sustentada (pressão arterial máxima de 184/121 mmHg) e rubor cutâneo do pescoço e tórax, compatível com episódio de disreflexia autonómica. Apesar da rápida identificação e suspensão dos fatores desencadeantes, o quadro clínico reverteu apenas no pós-operatório, depois da administração de labetalol. Com este caso pretendemos reforçar a importância das medidas preventivas, nomeadamente a preferência pela anestesia regional em cirurgia urológica nos doentes com lesão vertebro-medular.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2016-05-13
Como Citar
Lagarto, F., & Pina, P. (2016). Disreflexia Autonómica no Peri-operatório. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 25(2), 69-72. https://doi.org/10.25751/rspa.7265