Intubação com Videolaringoscópio em Doente Obeso Acordado

  • Pedro Andrade Assistente Hospitalar no Serviço de Anestesiologia do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM), EPE, Funchal, Portugal.
  • Raquel Tranquada Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM), E.P.E. http://orcid.org/0000-0002-8251-1933
Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica, Cirurgia Vídeoassistida, Intubação Traqueal, Laringoscopia, Manuseio das Vias Aéreas, Vigília.

Resumo

Introdução: A videolaringoscopia no doente acordado pode ser útil na abordagem da via aérea na anestesia do doente com obesidade mórbida. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência do videolaringoscópio na intubação traqueal destes doentes.

Material e Métodos: Este estudo, observacional e prospetivo envolveu 32 doentes propostos para cirurgia bariátrica. Após sedação e anestesia das vias aéreas superiores procedemos à intubação traqueal com o doente sedado mas colaborante e com recurso à videolaringoscopia. Suspenderíamos o procedimento se ultrapassássemos as três tentativas de intubação traqueal, se ocorresse gagging ou tosse severa ou se fosse impossível a visualização das cordas vocais.

Resultados: A taxa de sucesso registada foi de 97%. Vinte e nove doentes foram intubados na primeira tentativa (91%), um na segunda tentativa (3%) e um na terceira tentativa (3%). Só um doente não tolerou o procedimento.

Conclusões: O uso do videolaringoscópio no doente acordado deve ser considerado uma ferramenta útil no manejo da via aérea do doente obeso.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.

Biografia do Autor

Raquel Tranquada, Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM), E.P.E.
Assistente graduada sénior em Anestesiologia
Publicado
2018-02-10
Como Citar
Andrade, P., & Tranquada, R. (2018). Intubação com Videolaringoscópio em Doente Obeso Acordado. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 26(3). https://doi.org/10.25751/rspa.9785