Os Sino-moçambicanos da Beira. Mestiçagens Várias

  • Eduardo Medeiros Núcleo de Estudos Sobre África do Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS) da Universidade de Évora
Palavras-chave: Mestiçagem, Colonialismo, Sino-moçambicano, Beira, Moçambique

Resumo

Trocas multiculturais em contextos coloniais moçambicanos, envolvendo referências identitárias africanas, europeias e asiáticas, constituem o foco analítico do presente texto. A observação de processos de miscigenação (biológica e sobretudo cultural) registados nos séculos XIX e XX, em Moçambique colonial e também em alguns espaços da diáspora deste país, sugerem que a ideologia colonial de «separatismos culturais» e de gestão manipulativa das diferenças socioculturais entre populações africanas, chinesas, indianas e portuguesas não conseguiu suplantar os processos espontâneos de hibridação e de transculturação das comunidades consideradas, gerando continuamente novas identidades e, com elas, também novas tensões e recomposições sociais.

Referências

Arquivo Histórico Ultramarino (1881). «Moçambique, 1ª República», Pasta 3, Cap. 2, 20.08, Lisboa, Direcção Geral do Ultramar.

Alpers, Edward A. (1975). Ivory & Slaves in East Central Africa. Londres, Heine­mann.

Alpers, Edward A. (1998). «Recollecting Africa: Diasporic Memory in the Indian Ocean World», paper presented at the conference «African Diaspora Studies on the Eve of the 21st Century», Department of African American Studies, University of California, Berkeley, April 30 - May 2, 1998.

Alpoim, Armando de (1931). «Le commerce», separata de Moçambique. Paris, Expo­sition Coloniale Internationale.

Boletim Oficial (de Macau) (1958) n.º 2, de 6 de Novembro.

Boletim Oficial (1907) n.º 26, de 1 de Julho (Suplemento).

Boletim Oficial do Governo-Geral da Província de Moçambique (1858), n.º 9, de 27 de Fevereiro (Parte Oficial).

Boletim Oficial (1961) n.º 36, I, de 14 de Setembro (Suplemento).

Boletim Oficial (1913) n.º 44, de 1 de Novembro.

Booth, Martin (1992 [1990]). As Tríades – As Irmandades Criminosas Chinesas. Lisboa, Publicações Europa-América.

Cahen, Michel (1998). «L’Etat Nouveau et la Diversification Religieuse au Mozam­bique». Lisboa, CESA, ISEG-UTL (Documentos de Trabalho, 49).

Capela, José (1973). O Vinho para o Preto. Porto, Afrontamento.

Capela, José (1974). Moçambique pelo seu Povo. Selecção, prefácio e notas a cartas de Voz Africana. Porto, Edição de José Soares Martins, 3ª edição (Colecção As Armas e os Varões).

Capela, José (1982). O Movimento Operário em Lourenço Marques, 1898-1927. Porto, Afron­tamento.

Capela, José; Medeiros, Eduardo (1987). O tráfico de escravos de Moçambique para as Ilhas do Índico, 1720-1902. Maputo, Imprensa Nacional de Moçambique.

Capela, José (1993). O Escravismo Colonial em Moçambique. Porto, Afrontamento.

Capela, José (1995). O Álcool na Colonização do Sul do Save. 1860-1920. Maputo.

Capela, José (2002). O Tráfico de Escravos nos Portos de Moçambique. Porto, Afron­tamento.

Costa, Eduardo (1902). O Território de Manica e Sofala e a Administração da Companhia de Moçambique, 1892-1900. Lisboa, Typ. da Companhia Nacional Editora.

Costa, Mário Augusto da (Cap.) (1940). Do Zambeze ao Paralelo 22º. Monografia do Território de Manica e Sofala sob a Administração da Companhia de Moçambique. Beira, Imprensa da Companhia de Moçambique.

Cuche, Denys (2003). A Noção de Cultura nas Ciências Sociais. Lisboa, Editora Fim de Século, 2ª edição.

Dias, Jorge; Viegas Guerreiro, Manuel (1958). Missão de Estudos das Minorias Étnicas do Ultramar Português. Relatório da Campanha de 1957 (Moçambique e Angola). Lisboa, Centro de Estudos Políticos e Sociais da Junta de Investigação do Ultramar.

Ferrão, João (2000). «Identidades e Território: Uma relação a esclarecer», Arquivo de Beja, Actas das III Jornadas/Congresso, Tomo I.

Guedes, João (1991). As Seitas – Histórias do Crime e da Política em Macau. Lisboa, Livros do Oriente.

Lobato, Alexandre (1970). Lourenço Marques, Xilunguine. Biografia da cidade. Lisboa, Agência Geral do Ultramar (I-Parte Antiga).

Lopes, Padre António (1982). «Carta aberta aos Amigos da Ilha», Jornal Notícias, 9 de Outubro de 1982.

Machado, Isabel de (1993). «África deles», Macau, Revista do Gabinete de Comu­nicação Social de Macau.

Medeiros, Eduardo (1988a). As Etapas da Escravatura no Norte de Moçambique. Maputo, Universidade Eduardo Mondlane.

Medeiros, Eduardo (1988b). Bebidas Moçambicanas de Fabrico Caseiro. Maputo, Arquivo Histórico de Moçambique, Col. Estudos, 5.

Medeiros, Eduardo (1996). «Etnias e etnicidades em Moçambique - Notas para o estudo da formação de entidades tribais e étnicas entre os povos de língua(s) emakhuwa e élómwè e advento da etnicidade macua e lómuè», comunicação apresentada ao «Congresso de Cientistas Portugueses radicados no estran­gei­ro», Universidade de Aveiro, 18-20 de Dezembro de 1995, in Cientistas Portugueses Residentes no Estrangeiro. Aveiro, Fundação João Jacinto de Magalhães.

Medeiros, Eduardo (1997). «Etnias e Etnicidade em Moçambique. O advento do mundo Sena. Das origens a 1918», in José Carlos Venâncio (coord.), O Desafio Africano. Ed. Vega e Universidade da Beira Interior, 59-82.

Medeiros, Eduardo, s/data. «Evolução Demográfica das Comunidades Chinesas em Moçambique, 1858-1975» (não publicado).

Melo, Alexandre (2002). Globalização Cultural. Lisboa, Quimera.

Moreira, José (1997). Os Assimilados, João Albasini e as eleições, 1900-1922. Maputo, Arquivo Histórico de Moçambique, Col. Estudos, 11.

Nunes, Figueiredo (1963). Moçambique-1962. Lourenço Marques, Tip. Académica, Lda.

Penvenne, Jeanne (1993). «Trabalhadores de Lourenço Marques, 1870-1974». Maputo, Arquivo Histórico de Moçambique (colecção de 5 artigos com uma introdução e um ensaio original para o volume publicação de 1994).

Penvenne, Jeanne (1996). «João dos Santos Albasini (1876-1922): The Contradictions of Politics and Identity in Colonial Mozambique», Journal of African History, 37 (3), 417-464.

DOI : 10.1017/S0021853700035532

Rebelo, Domingos José (1970). «Chinese Extraction Group in Mozambique», Boletim da Sociedade de Estudos de Moçambique, 39, 133-141.

Rocha, Aurélio (2002). Associativismo e Nativismo. Contributos para o estudo das origens do nacionalismo em Moçambique. Maputo, Promédia.

Zamparoni, Valdemir (2000). «Monhés, Baneanes, Chinas e Afro-maometanos. Co­lonialismo e racismo em Lourenço Marques, Moçambique, 1890-1940», Lusotopie, 191-222.

Publicado
2016-02-19