Arquivos - Página 2

  • Problemáticas Políticas em África
    n.º 3 (2002)
    O terceiro número dos Cadernos de Estudos Africanos dedica-se novamente a uma temática específica, a dos complexos processos políticos que se verificam actualmente nos países africanos. Não se pretende, evidentemente, tratar esta vasta temática de forma abrangente, optando ao invés pelo destaque de algumas das problemáticas fundamentais. Os textos que o número inclui a este título têm duas origens distintas. Um primeiro grupo resulta de dois projectos maiores de investigação sobre a esfera do político, em curso no Centro de Estudos Africanos do ISCTE desde há alguns anos. Um segundo grupo resulta de debates sobre política africana, realizados no quadro do AEGIS, a rede europeia de estudos africanos. Uma das iniciativas a que este debate deu origem foi o seminário internacional sobre dinâmicas contemporâneas em África, realizado no ISCTE em Maio de 2002. Versões retrabalhadas das conferências apresentadas naquele contexto, focando aspectos diversos da temática comum, encontram-se no presente número. Esta edição contém ainda, a título complementar, três contribuições não abrangidas pela sua temática central.
  • Guerra e conflitos violentos em África
    n.º 2 (2002)
    O presente número da revista é composto essencialmente por comunicações apresentadas na conferência intitulada «Guerras e conflitos violentos em África», organizada pelo Centro de Estudos Africanos e o Departamento de Antropologia do ISCTE e que decorreu em Lisboa em Fevereiro de 2002. O objectivo da conferência consistia em reunir um grupo de especialistas para reflectir e discutir sobre as evoluções recentes dos conflitos armados em África, nomeadamente como é que estão relacionadas com a (re)categorização de identidades sociais e em medida afectaram (e afectam) o processo de recomposição política nas suas dimensões étnica, regional e nacional. Uma segunda linha de reflexão e de debate devia centrar-se sobre aspectos relacionados com os conceitos de colonialismo, nacionalismo, interesses geo-estratégicos e reordenamento  do mosaico político internacional. A dinâmica desestruturadora que as guerras e conflitos têm assumido nas diferentes regiões do continente africano traduz-se na destruição de famílias e comunidades inteiras, na recomposição de entidades políticas, na desagregação do tecido social e económico de vários países, no empobrecimento de áreas regionais e no agravamento de complexos problemas ecológicos. A conferência internacional propôs-se, assim, ser uma análise colectiva das causas e efeitos do fenómeno da violência militar e guerreira em África numa perspectiva pluri-disciplinar e comparativa, procurando assim estabelecer vias para a compreensão da situação presente em distintos contextos regionais.
  • Varia
    n.º 1 (2001)
    É com alguma satisfação que o Centro de Estudos Africanos do ISCTE apresenta o primeiro número da sua revista Cadernos de Estudos Africanos.
    A iniciativa de lançar esta revista corresponde a uma resolução tomada na sequência de um processo relativamente longo de reflexão. Não foi de ânimo leve que o CEA/ISCTE decidiu assumir a responsabilidade pela lançamento de uma publicação periódica de estatuto internacional que, longe de constituir apenas o orgão de uma determinada instituição, se propôe servir a necessidades imperiosas de toda a comunidade que, em Portugal, se dedica aos estudos africanos em ciências sociais. Esta opção tornou-se irrecusável face ao rápido crescimento desta comunidade durante os anos 90, e à premência daí decorrente de ela dispor de um instrumento que, num ritmo seguro e com uma frequência adequada, forneça um espaço para a investigação e os debates no próprio país, e também para o diálogo e inter­câmbio com a comunidade internacional dos africanistas, e em especial com os cientistas sociais da própria África.
26-28 de 28