Folie à Deux, Uma Entidade em Mudança: A Propósito de Um Caso Clínico

  • Carolina Ribeiro Machado Hospital Magalhães Lemos
  • Cristina Fragoeiro Hospital Magalhães Lemos
  • Margarida Passos Hospital Magalhães Lemos
Palavras-chave: Folie à Deux, Classificação de Gralnick, DSM5

Resumo

Introdução: O termo folie à deux (FAD) surgiu pela primeira vez, em 1877, com Lasègue e Falret. Posteriormente, surgiram conceitos mais abrangentes do fenómeno de “contágio psiquiátrico”, como a classificação de Gralnick.

Objetivos: Apresentação de um caso clínico de um casal correspondendo a um subtipo de FAD designado por folie imposée.

Métodos: Descrição do caso clínico e pesquisa na base de dados MEDLINE com o termo MeSH: folie à deux, selecionando-se os artigos que abordavam a evolução na classificação desta entidade clínica.

Resultados e Conclusões: Desde as suas origens, até à integração nos manuais de diagnóstico atuais, como o DSM 5 (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), os critérios de diagnóstico de FAD foram-se tornando progressivamente mais restritos.

Publicado
2020-07-24
Secção
Casos Clínicos