Tumor Fibroso Solitário da Mama: um Caso Raro

Autores

  • Sofia G. Teixeira CHTV https://orcid.org/0000-0003-0271-0607
  • Beatriz Flor-de-Lima Serviço de Radiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal
  • António Cardoso Serviço de Radiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal
  • António J. Madureira Serviço de Radiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0003-2490-1447

DOI:

https://doi.org/10.25748/arp.25613

Resumo

O tumor fibroso solitário (TFS) é uma neoplasia rara, frequentemente encontrada na pleura. O TFS mamário é extremamente raro, com escassos casos relatados na literatura.

Mulher de 49 anos com nódulo palpável na mama direita. A mamografia revelou uma massa oval circunscrita, que na ecografia correspondia a nódulo hipoecóico bem definido. Os achados de imagem são inespecifícos e o diagnóstico definitivo requer análise histológica e imunohistoquímica.

Histologicamente, as células neoplásicas podem adotar morfologia fusiforme a ovoide, e o padrão de crescimento é variável. Na imunohistoquímica, as células tumorais mostram positividade forte e difusa para CD34 e STAT-6.

Em conclusão, o TFS da mama é raro. A histologia pode mostrar características de sobreposição com outros tumores, sendo o STAT-6 um marcador sensível e específico que permite o diagnóstico definitivo. A ressecção cirúrgica é o tratamento gold standard. Embora a maioria tenha um curso clínico benigno e indolente, o acompanhamento a longo prazo é recomendado.

 

Downloads

Publicado

2022-04-29