Ketamina na Dor Neuropática Pediátrica

  • Adelaide Stott Howorth Pinto-Coelho Hospital do Divino Espírito Santo, Ponta Delgada

Resumo

Objetivo: O objetivo deste trabalho é a revisão da literatura sobre o papel da ketamina como analgésico no tratamento da dor neuropática na população pediátrica. 

Material e Métodos: Foi realizada uma revisão narrativa da literatura utilizando os descritores pain, neuropathic, paediatric, children e ketamine. A pesquisa foi realizada na base de dados PubMed. Identificámos 184 artigos versando a dor neuropática pediátrica, mas apenas 3 sobre a administração de ketamina nesse contexto. Dado o reduzido número de entradas relativas ao uso de ketamina na dor neuropática pediátrica, incluímos também trabalhos citados nas publicações inicialmente identificadas, o que impossibilitou a realização de uma revisão sistemática.

Resultados e Discussão: A ketamina é um anestésico dissociativo com um mecanismo de ação múltiplo, que apresenta notável benefício nos casos de dor intratável, em particular do tipo neuropático e que, em doses subanestésicas (analgésicas), pode ser administrada com um elevado perfil de segurança e escassos efeitos adversos. Nas crianças com dor neuropática intratável os fármacos antagonistas dos recetores NMDA, como a ketamina, têm demonstrado melhorar a analgesia e reverter a tolerância e hiperalgesia induzidas por altas doses de opióides. A maioria dos relatos da utilização de ketamina na população pediátrica refere-se a casos de dor neuropática intratável associada a situações de doença oncológica terminal.

Conclusão: Apesar de evidência científica limitada parece existir sustentação para a administração de ketamina em doses analgésicas no tratamento da dor neuropática pediátrica.

Biografia do Autor

Adelaide Stott Howorth Pinto-Coelho, Hospital do Divino Espírito Santo, Ponta Delgada
Interno de Anestesiologia, Serviço de Anestesiologia, Hospital do Divino Espírito Santo, Pont Delgada, Portugal
Publicado
2018-12-15
Como Citar
Pinto-Coelho, A. (2018). Ketamina na Dor Neuropática Pediátrica. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 27(4), 75-79. https://doi.org/10.25751/rspa.15110