Indicadores de desempenho motor como preditores de fragilidade em idosos cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família

  • Priscila Luzia de Souza Santos Graduada em Fisioterpia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Marcos Henrique Fernandes Curso de Fisioterapia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Patrícia Honório Silva Santos Graduada em Enfermagem - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Tamiles Daiane Borges Santana Graduada em Farmácia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Cesar Agusto Cassoti Curso de Odontologia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Raildo da Silva Coqueiro Curso de Licenciatura em Educação Física - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • José Ailton Oliveira Carneiro Curso de Licenciatura em Educação Física - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

Abstract

Este estudo objetivou identificar os testes de desempenho motor mais fortemente associados à fragilidade e seus respectivos pontos de corte, e verificar o melhor indicador de desempenho motor como instrumento de triagem para discriminar fragilidade em idosos cadastrados em Unidade de Saúde da Família. Participaram da pesquisa 139 idosos com idade ≥60 anos, sendo 105 mulheres e 34 homens. A fragilidade foi identificada por meio dos critérios de Fried et al. (2001). Os testes de desempenho motor realizados foram: Força de preensão manual (FPM), sentar e levantar, caminhada (TC) e pegar um lápis. A análise de regressão logística foi usada para associar os testes de desempenho motor e fragilidade. Os pontos de corte foram avaliados por parâmetros fornecidos pela curva Receiver Operating Characteristic (ROC), com nível de significância de 5%. Os dados foram analisados usando SPSS 21.0 e MedCalc. A média de idade dos idosos foi de 72.32 ±8.4 anos. O teste de caminhada foi positivamente associado à fragilidade (OR 1,30; p<0.01), e a força de preensão manual foi inversamente associada à fragilidade no sexo feminino (OR 0.74; p<0.001). O TC apresentou um ponto de corte 5s (sensibilidade 88,9 e especificidade 74,5%) e a FPM-F obteve um ponto de corte de 14.6 kgf (sensibilidade 83.3 e especificidade 79.0%). Conclui-se que o teste de caminhada foi o melhor indicador de triagem para discriminar a fragilidade em idosos, de ambos os sexos, cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família.

Author Biographies

Priscila Luzia de Souza Santos, Graduada em Fisioterpia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Fisioterapeuta
Marcos Henrique Fernandes, Curso de Fisioterapia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Prof. Dr. do curso de Fisioterapia/Departamento de Saúde.
Patrícia Honório Silva Santos, Graduada em Enfermagem - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Mestranda em Enfermagem e Saúde /Departamento de Saúde.
Tamiles Daiane Borges Santana, Graduada em Farmácia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Farmceutica
Cesar Agusto Cassoti, Curso de Odontologia - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Prof. Dr. do curso de Odontologia/Departamento de Saúde
Raildo da Silva Coqueiro, Curso de Licenciatura em Educação Física - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Prof. Ms. do Curso de Educação Física/Departamento de Saúde
José Ailton Oliveira Carneiro, Curso de Licenciatura em Educação Física - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
Prof. Dr. do Curso de Educação Física/Departamento de Saúde.
Published
2016-10-13
Section
Original Article