Riscos para a identidade de enfermeiros decorrentes das condições de trabalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48492/servir024.24088

Palavras-chave:

Riscos, Trabalho, Enfermeiros

Resumo

INTRODUÇÃO

Os enfermeiros apresentam níveis elevados de burnout com consequências para a identidade destes profissionais do cuidar e para a qualidade dos cuidados.

OBJETIVO

Analisar o modo como os enfermeiros dos Cuidados de Saúde Primários e Diferenciados se posicionam perante as adversidades e desafios da sua identidade.

MÉTODOS

Pesquisa qualitativa, baseada na Teoria Ego-ecológica de Zavalloni. Aplicou-se o Inventário de Identidade Psicossocial e entrevistas a 6 enfermeiros, com uma amostra não probabilística por redes.

RESULTADOS

Os enfermeiros estão sujeitos a riscos específicos, mas também a riscos muito idênticos de condições objetivas (renumeração, más condições físicas, sobrecarga de trabalho), ou de riscos psicossociais (desorganização, dependência, mau relacionamento de equipa, natureza dos cuidados, não reconhecimento social), com predominância nos riscos psicossociais.

CONCLUSÕES

Verificou-se uma ligeira diferenciação na identidade profissional nestes contextos de trabalho que se prende com a visão da natureza dos cuidados prestados, com riscos e desmotivações muito idênticos. No entanto, os aspetos apontados como negativos podem ser corrigidos e tornarem-se fontes de desafio profissional.

Referências

Dubar, C.A. (1997). Socialização – Construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora.

Esteves, A.M.T. (2012). A construção da identidade profissional do enfermeiro em bloco operatório. Tese de Mestrado em Gestão Estratégica de recursos Humanos, Escola Superior de Ciências Empresariais, Instituto Politécnico de Santarém.

Jesus, E.H., Pinto, A.M., Fronteira, I.E. & Mendes, A.C. (2014). Estudo RN4CAST em Portugal: perceção dos enfermeiros sobre Burnout. Rev Investigação Enfermagem, vol. nº11, 47-59.

Lemos, E.R. (2008). Profissão de enfermeiro. Compreensão Sociológica da Identidade Profissional. Tese de Mestrado em Sociologia, Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Lopes, N. (2001). Recomposição profissional da enfermagem – Estudo sociológico em contexto hospitalar. Coimbra: Quarteto Editora.

Marta, M., Lopes, A., Pereira, F. & Leite, M. (2014). A relevância profissional da formação de professores e enfermeiros no ensino superior: uma análise a partir das identidades dos formadores. Rev Lusófona de Educação, vol. nº 27,75-91.

Moscovici, S. (2003). Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Editora Vozes.

Sobrinho, S.H., Radünz, V. & Rosa, L.M. (2015). O Cuidar de si para promoção da saúde: os cuidados da enfermagem. Ciência, Cuidado e Saúde., vol.14 (1), 941-947.

Zavalloni, M. & Louis-Guérin, C. (1984). Identité sociale et conscience – Introduction à l’égo-écologie. Montréal, LesPresses de l’Université de Montréal.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

Fernandes, R. ., Pereira, F., & Araújo, B. (2016). Riscos para a identidade de enfermeiros decorrentes das condições de trabalho . Servir, 59(4), 75–79. https://doi.org/10.48492/servir024.24088