Editorial

Autores

  • Carlos Albuquerque Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde, Viseu, Portugal; UICISA: E, ESEnfC, Coimbra; CIEC - UM, Braga, https://orcid.org/0000-0002-2297-0636

DOI:

https://doi.org/10.48492/servir0201.26101

Resumo

 

 Editorial 

OS SERES INVISÍVEIS QUE AMEAÇAM A HUMANIDADE: RELEVÂNCIA DA VACINAÇÃO 

Quando nos finais do século XVIII (1798), o naturalista e médico rural britânico Edward Jenner Monticello (1749-1823) hoje amplamente conhecido como o “pai da imunologia”, descobriu um dos mais célebres medicamentos - a primeira vacina contra a varíola - a evolução da medicina e, por consequência, do mundo deu um passo colossal. Descobriu-se assim o primeiro medicamento que não tinha por objetivo curar, mas sim prevenir, procurando evitar que as pessoas ficassem infetadas por aquela doença que certamente as ia levar à morte. Eis a descoberta da terapêutica medicamentosa preventiva, a qual se viria a tornar um dos marcos históricos mais importantes da medicina a favor da humanidade, feito este testemunhado por Thomas Jefferson (terceiro presidente dos Estados Unidos da América) na carta que endereçou, a 14 de Maio de 1806, a Edward Jenner Monticello: “I avail myself of this occasion of rendering you a portion of the tribute of gratitude due to you from the whole human family. Medicine has never before produced any single improvement of such utility. (...) You have erased from the calendar of human afflictions one of its greatest.”1 

Downloads

Publicado

2021-12-30

Edição

Secção

Editorial